Normalmente quando plantamos uma árvore pensamos em bem estar no futuro, criando um espaço com sombra para podermos desfrutar momentos agradáveis com amigos e familiares. A questão é que, sendo um organismo vivo as árvores crescem, e dependendo das espécies, crescem muito!

Se você pretende criar uma "área verde" em seu condomínio, sua casa ou até mesmo no seu sítio, esse projeto vai depender da disponibilidade de espaço do local. A escolha das espécies de árvores estará intimamente relacionada ao espaço. Atualmente as grandes cidades dispõem cada vez menos de espaço físico e plantar espécies de árvores desproporcionais a esses espaços pode desenvolver problemas futuros. Normalmente esses problemas estão relacionados à altura das árvores junto à rede elétrica, destruição das calçadas por conta das raízes, situações de risco próximo à residências, entre outras situações.

O projeto de paisagismo deve levar em consideração não só o bem estar dos seres humanos, mas deve no mínimo levar em consideração questões ecológicas e funcionais da realidade local.

Um primeiro passo, definida a área a ser trabalhada, pode se pensar quanto às espécies de árvores. Sob um olhar mais ecológico, podemos pensar em espécies de árvores nativas (são aquelas árvores que naturalmente ocorrem em uma região, sem ação do homem). Essas árvores possuem papel ecológico fundamental. Muitas dessas árvores são frutíferas (que produzem frutos) e automaticamente atrairão aves que irão visitá-las. Algumas árvores nativas do Rio Grande do Sul possuem pequeno ou médio porte, como o caso das pitangueiras (Eugenia uniflora L.) ou os araçás (Psidium Cattleyanum).

Caso o seu condomínio disponha de um amplo espaço para árvores maiores, com copas mais frondosas e de grande porte, você pode optar por outras espécies. Um bom exemplo pode ser o Ipê (Tabebuia sp.) e suas variações roxo ou amarelo, ou a Guabiroba (Campomanesia xanthocarpa).

A escolha das árvores será importante também para a manutenção do local, pois algumas tendem a soltar mais folhas no inverno do que outras. Assim como a incidência de sol pode influenciar o desenvolvimento das árvores. Posteriormente com o crescimento das árvores a manutenção de poda será necessária, assim como a limpeza de ervas parasitas (as chamadas "ervas de passarinho").

Outros aspectos relevantes para a futura área verde são: a escolha das flores, folhagens, grama e a estrutura dos locais de convivência. É importante respeitar a necessidade de cada planta: algumas flores necessitam de mais luz solar assim como algumas folhagens. A harmonização de plantas com floração contínua durante o ano, e outras que podem ser repostas continuamente trazem um atrativo á área verde.

Os locais de convivência social, em áreas abertas, tornam-se importantes para relaxar no verão aproveitando o tempo prolongado de sol que é proporcionado pelo horário de verão. Criar um ambiente com oferta de bancos, mesas de apoio com pergolados estimula o convívio coletivo e socialização dos moradores, no caso de condomínios.

A área verde do condomínio é um patrimônio que deve ser pensando com atenção para que se possa usufruir de uma área comum trazendo benefícios ao bem estar na qualidade de vida das pessoas. #Natureza #Decoração