O tráfico de #Animais silvestres ainda é um grande problema no Brasil. Com a fauna rica e cheia de espécies diferentes, os traficantes continuam atuando e retirando milhares de animais da fauna para vendê-los. De todos os capturados estima-se que apenas 10% sobreviva, ou seja, a crueldade e a mortandade é imensa e assustadora, colocando em risco várias espécies de animais silvestres do Brasil.

Para se ter uma ideia melhor da drástica situação, entre os anos de 2006 e de 2014 a polícia apreendeu mais de 100 mil animais que estavam nas mãos de traficantes. Se pensarmos que muitos deles não foram apreendidos e outro tanto morreu, podemos notar que o número de indivíduos retirados do seu habitat natural para acabar na mão de bandidos é enorme.

Publicidade
Publicidade

A rota mais comum é a de animais capturados no norte e nordeste brasileiro serem trazidos para sul e sudeste. Isso sem contar os que vão para fora do país. De acordo com estudos, mais de 80% desses animais são aves, que são ainda mais sensíveis a esse maltrato sofrido e têm um alto índice de mortalidade.

Por isso, as campanhas alertando a população e incentivando a denunciar o tráfico de animais silvestres são de suma importância. Só com a educação, aprendizado e conscientização esses números podem ser mudados. O Conselho Federal de Medicina Veterinária há mais de um ano está com uma campanha nessa área. Palestras, teatros, ente outros eventos já foram realizados, visando alertar a população sobre o problema.

Recentemente, o aplicativo de nome Extintômetro foi lançado. Trata-se de um app existente no Facebook que orienta as pessoas sobre o problema do tráfico e ensina a denunciar.

Publicidade

Nesse mesmo aplicativo há mais de 600 espécies que estão caminhando para a extinção descrita e com fotos disponíveis. Caso o usuário queira, o aplicativo disponibiliza fotos de várias espécies para serem usadas como fotos de perfil.

Acesso e participe desse aplicativo. Caso saiba e algum caso de tráfico de animais silvestres, denuncie! É possível fazer isso online, no site do IBAMA ou pelo telefone verde: 0800-618080. Ligação gratuita.