Aconteceu em Washington, EUA, dia 13, a décima edição da premiação do Sustainable Transport Award. Três capitais brasileiras saíram vencedoras: Belo Horizonte, Rio de Janeiro e São Paulo. A cerimônia contou com a participação de representantes das três cidades: Márcio Lacerda (BH), Laudemar Aguiar (RJ) e Ciro Biderman (SP). Brasília, outra concorrente tupiniquim, não conseguiu premiação.

Segundo o comitê julgador, a decisão por uma premiação tripla - e inédita - foi um meio de dar crédito ao sólido esforço brasileiro em melhorar a mobilidade de suas principais cidades.

A notícia boa, no entanto, pode causar estranhamento aos que tem suas rotinas alteradas pelas mudanças ou que não se beneficiam por elas.

Publicidade
Publicidade

Exemplo disso são os cariocas que ainda se confundem com as alterações de trânsito na zona central ou os paulistanos que não se conformam com a perda de vagas de estacionamento para ciclofaixas. Vale lembrar também que 83% dos belo-horizontinos apontaram o trânsito e o transporte coletivo como os maiores problemas da capital mineira, em pesquisa realizada em 2013. Será que um ano foi suficiente para eles mudarem de opinião?

Confira abaixo um pouco do que essas cidades fizeram em 2014 na área de mobilidade urbana:

Belo Horizonte

  • Implantou 27 km de ciclovia, de 320 km planejados;
  • Criou zonas pedonais (vias exclusivas para pedestres) no centro;
  • Inaugurou o sistema de BRT, MOVE, em dois corredores, cobrindo 23 km e reduzindo 40% o tempo de viagem.

Rio de Janeiro

  • Inaugurou o Transcarioca - segundo BRT de quatro planejados - perfazendo um corredor de 39km;
  • Tem realizado transformações substanciais nos últimos anos, como a demolição da perimetral.

São Paulo

  • Implementou 320 km de corredores exclusivos de ônibus, aumentando em 21% a velocidade média dos ônibus
  • Implantou 78 km de ciclovias com previsão de chegar aos 400 km até o final de 2015

BRT: origem brasileira e quase 5.000 km em todo o mundo

Muito se fala em BRT, mas você sabe o que é? BRT (Bus Rapid Transit) é um sistema de ônibus que deve, por princípio, ser tão eficiente a ponto de atrair os usuários do transporte individual para o coletivo.

Publicidade

Dentre suas características estão os corredores exclusivos perfazendo grandes extensões, ônibus de qualidade e estações eficazes com embarque em nível (abolindo a escada) e passagens pagas previamente.

Este modelo de transporte foi criado pelo arquiteto Jaime Lerner e implantado pela primeira vez em 1974, em Curitiba (PR) onde era prefeito. Integrado com outras intervenções urbanas, projetou Curitiba internacionalmente como um modelo inovador.

Segundo o Global BRT Data, atualmente o sistema está implantado em 189 cidades em todo mundo, perfazendo 4.907 km de extensão e beneficiando mais de 31 milhões de pessoas - a maioria na América Latina.

Vou de bike!

Já pensou em utilizar a bicicleta como meio de transporte diário? Veja aqui algumas vantagens.