Sem água, sem elevador, comida e mantimentos das geladeiras estragados, tudo por conta de quase cinco dias sem energia em um prédio em São Paulo. Moradores revoltados cercaram um funcionário da Eletropaulo que estava concertando um transformador na rua Latif  Fakhouri, no Jabaquara (zona sul), informando que o mesmo só sairia depois que resolvesse o problema com a falta de energia no prédio deles.

      O funcionário ainda argumentou que não tinha os equipamentos necessários para arrumar a peça que acionaria os equipamentos mais potentes e que para isso seria necessário um caminhão especial. Segundo a sindica, a situação do prédio está insuportável, já que no local se encontra muitos idosos e que já se encontravam nessa situação desde a segunda (12).

Publicidade
Publicidade

A situação ainda ficou mais precária quando a água da caixa acabou e não encontraram uma bomba a gasolina nem um gerador para alugar, desabafou a sindica.

        Não houve violência contra o funcionário da Eletropaulo, mas ele ficou detido por cerca de mais de uma hora, quando a energia foi restabelecida. Os moradores desse condomínio ainda informaram que foram feitas 300 ligações à empresa.

        Esse problema com a energia vem sendo recorrente em todos os bairros de São Paulo: basta chover que vários transtornos acometem aos paulistanos, desde quedas de árvores que destroem carros, casas fios de eletricidade e telefonia e até vidas. Alagamentos viraram rotina: qualquer chuvinha e bairros inteiros ficam praticamente submersos.

Só não melhora a situação dos reservatórios que abastecem a grande São Paulo que passa por um momento muito difícil por conta da falta de água.

Publicidade

Os reservatórios a cada dia mais perdem suas capacidades hídricas, enquanto moradores sofrem com as cheias e perdem tudo o que conquistaram com muita luta e suor, nada melhora nos níveis dos reservatórios.

     Resta aos paulistanos rezar e pedir ajuda divina e cobrar mais ações dos políticos, pois esse problema não é novidade e sim recorrente. Há anos que os paulistanos convivem com esse problema, cor política que for.

#Natureza