Erupções vulcânicas desde a Islândia até o Alasca podem fazer mais do que apenas estragar viagens aéreas. Elas poderiam ajudar a diminuir o aquecimento global.

Um novo estudo concluiu que pequenas erupções vulcânicas, de 2000 a 2013, emitiram na atmosfera o gás dióxido de enxofre, que ajuda na refrigeração, em maior proporção do que era esperado, e que isso teria contribuído significativamente para a redução do aquecimento global na última década.

Pesquisas anteriores sugerem que pequenas erupções contribuem menos com o fenômeno de resfriamento que causou a estabilização das temperaturas no final do século 20; o fenômeno é conhecido como hiato do aquecimento global.

Publicidade
Publicidade

Mas novos equipamentos de medição terrestres, aéreos e espaciais (satélites) ao redor de todo o mundo mostram que uma ou duas erupções por ano foram capazes de desviar quase o dobro da radiação solar esperada. 

Gotas de ácido sulfúrico, que se formam quando o dióxido de enxofre expelido dos vulcões se combina com o oxigênio da atmosfera superior, podem permanecer no ar por muitos meses, refletindo a luz do sol para fora da Terra. Por devolver a energia solar para o espaço, as partículas de ácido sulfúrico destas recentes erupções podem ser responsáveis pela redução nas temperaturas globais em 0,05 a 0,12 graus Celsius.

A desaceleração no aumento das temperaturas nos últimos 15 anos tem intrigado os cientistas e dá argumentos àqueles que acham que o aquecimento global é um exagero. Alguns sugerem que o calor se dissipa nas profundezas do Atlântico e oceanos do sul, outros acreditam que um ciclo de 30 anos, que ocorre naturalmente no Oceano Atlântico, está por trás da desaceleração.

Publicidade

Ainda existem aqueles que dizem que uma queda na atividade solar contribuiu para esse fato.

Até agora, erupções vulcânicas não eram incluídas nas projeções climáticas, uma vez que estes são fenômenos praticamente impossíveis de se prever. Apenas as grandes erupções do Mount Pinatubo, Filipinas, em 1991, foram consideradas em causar um impacto no clima.

Em 2010, a erupção do vulcão Eyjafjallajokul, na Islândia, provocou o cancelamento de mais de 100.000 voos. Esta semana, o vulcão Pavlof, um dos mais ativos no Alasca, se acalmou. Em erupção desde 12 de novembro, sua atividade caiu drasticamente no último sábado (31).

O estudo, desenvolvido no MIT, Instituto de Tecnologia de Massachusetts, permite a análise de outras variáveis na pesquisa do aquecimento global, dando novos rumos aos modelos climáticos utilizados no futuro. #Natureza #Curiosidades