Cerca de 1.000 anos atrás uma próspera metrópole mesoamericana sofreu um intenso período de seca quando a taxa de chuvas foi abaixo da média, forçando as pessoas a abandonarem a cidade em busca de oportunidades melhores, diz um novo estudo.

Cientistas discutem se foi a seca ou forças culturais que levaram ao abandono de Cantona, uma cidade fortificada localizada a leste da atual Cidade do México. Poucos detalhes são conhecidos sobre o clima passado, levando os pesquisadores a olharem mais atentamente às condições climáticas que afetaram a cidade pré-colombiana na Mesoamérica.

Em seu apogeu, cerca de 90.000 pessoas viviam em Cantona, que está localizada numa bacia vulcânica seca.

Publicidade
Publicidade

A área forneceu grandes quantidades de obsidiana, vidro que se forma quando a lava resfria rapidamente, e que era usado como moeda de troca e para produzir ferramentas de caça e agricultura. Porém, entre 900 e 1.050 d.C., os moradores deixaram a região.

Para investigar o porquê, geógrafos avaliaram o clima antes e depois do colapso de Cantona. Foram coletados núcleos de sedimento e amostras de Aljojuca, um lago a cerca de 30 km da cidade. Os pesquisadores examinaram a relação entre diferentes isótopos do oxigênio na água e determinaram o quanto de precipitação e evaporação ocorreu no lago. A taxa de isótopos era alta, indicando que a área teve verões mais secos, dizem os cientistas. Outros componentes foram analisados e os resultados foram semelhantes.

No geral, Cantona ainda tinha verões úmidos e invernos secos, mas a sua temporada de monções regulares foi perturbada por secas frequentes de longo prazo, que iniciaram em 500 d.C.

Publicidade

e duraram até 1.150 d.C., o que provavelmente prejudicou lavouras e o abastecimento de água da região, disseram os pesquisadores.

Esse período de seca não foi isolado, mas parte de um período de secas no atual planalto do México, que durou de cerca de 200 a.C. até 1.300 d.C., pouco antes do império Asteca tomar o poder.

"O declínio de Cantona ocorreu durante este intervalo de seca, e concluímos que a mudança climática foi determinante para o fim da existência da cidade", o pesquisador-chefe Tripti Bhattacharya, estudante de pós-graduação de geografia da Universidade da Califórnia, Berkeley, disse em um comunicado.

No entanto, a população de Cantona cresceu durante o início do período de seca. É possível que a turbulência política e secas em outros lugares trouxeram mais pessoas para a cidade fortificada, disse Bhattacharya.

"Num certo sentido, a área tornou-se importante por causa do aumento da frequência de seca", disse Roger Byrne, um professor de geografia da Universidade da Califórnia, em Berkeley. "Mas quando a seca continuou em tal escala, a base de subsistência para toda a região mudou e as pessoas tiveram que sair. A cidade foi abandonada."

O estudo foi publicado no dia 26 de janeiro na revista Proceedings of the National Academy of Sciences. #História #Curiosidades