No Brasil são produzidos 250 mil toneladas de lixo por dia. Essa produção cresceu nos últimos 10 anos, principalmente devido ao aumento do consumo de produtos industrializados. Em Blumenau- SC são recolhidos sete mil toneladas de lixo todo mês, mas nem metade dessa quantidade pertence à coleta seletiva, ou seja, o lixo reciclado.

Uma ação que ajudaria a evitar problemas quanto a destinação do lixo, economia para o município, além de aumentar o índice de resíduo reciclado, seria a Coleta mecanizada. Até o fim do primeiro semestre deste ano, Blumenau poderá contar com esse serviço. A iniciativa do Samae é analisar a forma de implantar no município esse benefício, nos mesmos moldes de outras cidades, como Curitiba-PR, por exemplo, onde a coleta é feita com a ajuda de containers.

Segundo a Lei Federal que instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos, a partir de 2 de agosto do ano passado os rejeitos deveriam ter destinação final ambientalmente adequada, mas ainda falta bastante para que a lei seja realizada na prática. Além da destinação correta, são necessários outros esforços coletivos para que a lei funcione, como por exemplo, a reciclagem.

As vantagens são inúmeras para o controle da coleta na cidade. Atualmente o Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae) investe mais de 1 milhão e meio todos os meses para garantir o serviço de coleta em todos os bairros. De acordo com gerente de resíduos sólidos do Samae, João Carlos, o custo por tonelada de lixo convencional chega a R$ 265,00 e R$372,00 para o reciclado. Com o novo serviço a intenção é economizar.

Mesmo com a intenção de melhorias para a cidade, a população tem um papel fundamental em relação ao lixo, principalmente diminuindo a produção individual de cada família, comprando produtos com menos embalagens e consumindo somente o que é necessário. Enquanto o novo serviço não é implantado, a coleta de lixo passou a ser realizada novamente no horário antigo, a partir das 7h00 da manhã até as 17h00 da tarde.