Até o início da noite deste sábado (14), a Polícia Militar do Estado de Santa Catarina já havia confirmado 41 óbitos decorrentes do trágico tombamento de um ônibus de turismo em uma ribanceira de aproximadamente 400 metros em Campo Alegre, nas proximidades de Joinville, na região Norte do Estado. A tragédia ocorreu no final da tarde de hoje, no km 89 da SC-418.

De acordo com informações do comandante da Polícia Militar local, Paulo Henn, foram, ao todo, 41 corpos retirados das ferragens e da zona do acidente para serem encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML) de Joinville até as 23h de sábado. Dois feridos ainda teriam morrido nos hospital, o que totalizaria 43 óbitos, mas as autoridades não confirmam as últimas mortes.

Publicidade
Publicidade

O local do acidente fica anexado a um mirante na zona turística denominada Serra Dona Francisca. Segundo os primeiros relatos obtidos, o condutor do ônibus - que tinha emplacamento de União da Vitória, do Paraná (PR) - teria perdido totalmente o controle do veículo em uma curva. Como o local é difícil acesso, as equipes do Corpo de Bombeiros responsáveis pelas buscas estimam que o trabalho siga ainda na madrugada de domingo (15).

Caso confirme-se o número de 43 mortes, esta deverá ser considerada a maior tragédia rodoviária da história do estado de Santa Catarina, superando um acidente envolvendo um ônibus argentino, no ano de 2000, que vitimou 42 pessoas.

Sobreviventes

Segundo a Secretaria de Estado em Desenvolvimento Regional de Joinville, 12 pessoas foram encontradas com vida logo após a descoberta do acidente.

Publicidade

Sete deles foram enviados para o Hospital São José, em Joinville, que anunciou que poria em prática "um plano de catástrofe", na tentativa de amenizar os efeitos da tragédia.

Conforme boletim divulgado pela unidade médica do hospital, emitido por volta de 23h40, cinco seguiam em estado grave e duas pessoas apresentavam quadro estável, embora graves fraturas. Outras quatro crianças foram encaminhadas ao Hospital Infantil Dr. Jeser Amarante Faria. Um outro paciente com quadro regular foi deslocado até o Hospital de Campo Alegre.