A torre Eiffel, marco turístico da França, foi construída há 126 anos, sendo projetada para durar outros 20. Para manter a imponência que exibe até hoje, passou por algumas reformas, mas nenhuma nas proporções da mais recente delas. Sendo a maior obra de modificação da torre, a atual reforma foi na verdade um grande passo para a sustentabilidade do monumento, já que baseou-se em um projeto totalmente 'verde'.

A torre verde

O projeto realizado na Torre Eiffel pela empresa americana Urban Green Energy contemplou a instalação de duas turbinas eólicas, localizadas no segundo andar, a cerca de 120 metros do chão, projetadas de forma a ficarem praticamente camufladas em meio aos metais que sustentam toda a estrutura.

Publicidade
Publicidade

A produção de energia elétrica fornecida pelas turbinas será suficiente para prover todo o primeiro andar, que conta com restaurantes, uma loja e um local de exibição de toda a história da torre.

Para evitar quaisquer efeitos negativos provenientes dos novos equipamentos, a operação será feita com as hélices atuando em baixa rotação. Além disso, um mecanismo para coletar águas pluviais também foi instalado, e tais recursos podem ser utilizados no setor de limpeza e banheiros. Painéis solares e luzes de led, mais econômicas, também estão contempladas no projeto.

Paris sustentável

As obras realizadas na Torre Eiffel são os primeiros passos de um grande projeto ambiental francês que visa a sustentabilidade. O plano climático desenvolvido por Paris espera reduzir em 25% os impactos ambientais gerados pela torre, que recebe anualmente cerca de sete milhões de turistas, e passarão a ter, em breve, acesso teórico e prático no que diz respeito às novas mudanças.

Publicidade

Além disso, mais melhorias serão feitas em outras partes da cidade. Nas próximas semanas, algumas ruas da cidade luz receberão turbinas eólicas de menor proporção, disfarçadas em forma de árvores.

Ainda este ano, a cidade irá receber a Conferência Climática da ONU, e o projeto deve ser utilizado como demonstrativo para as possibilidades de formas sustentáveis que já estão disponíveis para redução dos impactos ao meio ambiente.