Atualmente está na moda comer sushi e sashimi, redes de comida japonesa se espalham pelo mundo, cidade após cidade, além de novos e requintados restaurantes abrindo a todo o momento com preços cada vez mais altos.

Por trás disso tudo se encontra o ingrediente favorito de todo o sushiman, como também de todos os apreciadores de comida japonesa: o atum. Mais precisamente o atum azul, do Pacífico, isso só para aqueles que podem pagar, pois os preços desta iguaria estão cada vez mais altos, típica situação de um produto que está em extinção, porém, quanto mais alto o preço mais atrativo parece ficar o produto.

Hoje se tornou difícil encontrar o atum, navios percorrem os sete mares em busca de cardumes do peixe, dia e noite, todos os dias do ano.

Publicidade
Publicidade

Somente barcos já não bastam, aviões equipados com sonar sobrevoam o mar em busca de cardumes, em seguida avisam os navios que seguem até o local para pescá-los, mesmo assim está cada vez mais difícil encontrá-los, provavelmente passem a utilizar satélites, parece que o homem não vai descansar enquanto essa espécie incrível não estiver extinta.

Existem criadores de atum em cativeiro, mas são poucos e difíceis de criar, esses #Animais precisam de mar aberto para se alimentar, e a qualidade da carne depende da sua poderosa musculatura. A pesca do atum está sujeita a cotas, mas mais de um terço da pesca provém do mercado negro, é quase impossível fiscalizar os oceanos, e as empresas e restaurantes querem o atum a qualquer preço, não se importando com a origem do produto.

Apesar do grande número de ONGs que lutam para que diminua ou mesmo que seja extinta a pesca do atum, os governos estão mais preocupados em se manter no poder, agradando aos consumidores, parece que hoje em dia o importante não é fazer o certo, mas agradar a certas corporações e , além do mais, os governos cada vez mais utilizam sua energia para se esconder e fugir de processos de corrupção em detrimento dos problemas do planeta e da sua biodiversidade.

Publicidade

Uma das passagens mais impactantes da Bíblia é sobre a Arca de Noé, um recado para todos. Deus queria punir os pecadores, mas coube ao homem cuidar e preservar todas as espécies, foi um belo exemplo da Bíblia, mas parece que poucos perceberam a dica.

A grande variedade de alimentos que chegam a mesa das pessoas não explicam essa obsessão em torno do atum, com tantas alternativas, não existe desculpa para que isso continue.

Todas as espécies de peixes da família dos escombrídeos (atuns, bonitos, cavalas, peixes-espada e marlins) estão ameaçados de extinção.

É estranho ver a foto de um empresário japonês, feliz e orgulhoso, depois de pagar R$ 100 mil por um único atum, muito satisfeito por estar ajudando a extinguir uma espécie, é repugnante. Seria interessante que as pessoas, antes de irem até um mercado comprar peixe, pesquisassem para saber quais estão em extinção (e não são poucos) e evitasse comprá-los.

Ninguém parece preocupado com a extinção dessa espécie, as pessoas parecem mais preocupadas em conseguir uma reserva em um restaurante para comer atum.

Publicidade

Nem sequer uma pessoa famosa, aquelas que podem mudar o pensamento de seus admiradores, veio a público pedir que se evite comer sushi ou sashimi com atum. Hoje em dia todos parecem mais preocupados em tirar selfies, pode ser até mesmo em um restaurante japonês. #Natureza