Estudos realizados por cientistas da #universidade de Northumbia, localizada em Newscastle, Reino Unido, revelaram que, em 15 anos, a temperatura da Terra deve cair bruscamente, resultando em invernos rigorosos em todo o planeta.

A informação foi revelada pela professora Valentina Zharkova, durante o Encontro Nacional da Real Sociedade de Astronomia, que aconteceu na semana passada em Llandudno, no País de Gales.

De acordo com as pesquisas, lideradas pela docente, o sol terá cerca de 60% de sua atividade reduzida a partir do ano de 2030, estendendo até 2040. Com isso, a Terra irá passará por uma mudança climática que os cientistas estão chamando de "mini Era Glacial", evento semelhante ao ocorrido no planeta em 1645, que recebeu o nome de Mínimo Maunder na época.

Publicidade
Publicidade

O fenômeno ocorre, segundo especialistas, devido a uma mudança no ciclo do Sol, que acontece, em média, a cada 11 anos. Devido ao movimento natural da estrela maior, os fluídos que ficam próximo ao núcleo do Sol e os localizados mais à superfície se opõem, causando a anulação de ambos. Ou seja, um fluído se mantem no hemisfério Sul, enquanto o outro está no hemisfério Norte do Sol. Com isso, a atividade solar diminui, causando o resfriamento da Terra.

"Encontramos componentes de ondas magnéticas se originando em duas camadas diferentes no interior do Sol. Ambas tem uma frequência de aproximadamente 11 anos, embora elas sejam sutilmente diferentes, o que faz com que fiquem fora de fase com o tempo. No Clico 26, que será durante a década de 2030, as duas ondas vão se espelhar, atingindo o pico ao mesmo tempo em hemisférios opostos do Sol", explica Zharkova.

Publicidade

O hemisfério norte será o mais atingido, uma vez que já apresenta baixas durante o período de inverno que o restante do planeta. A previsão é que, quando ocorrer, o Rio Tâmisa, na Inglaterra, fique completamente congelado devido às baixas temperaturas, assim como ocorreu no século 17. Situação semelhando foi registrada em 1780, quando foi possível ir de Manhattan à Staten Island, caminhando sobre a zona fluvial de Nova Iorque. #Natureza