Será que estamos chegando na era em que não será mais preciso do sexo masculino para se reproduzir?

O que parece impossível, foi feito por cientistas japoneses do Instituto Nacional de Biologia Básica e de outros centros de pesquisas japoneses. Eles conseguiram desativar o gene FOXL3, que se expressa em células precursoras reprodutivas, conhecidas como células germinativas, fazendo assim com que os peixes medakas fêmeas reproduzam espermatozoides funcionais, capazes de fertilizar ovos normalmente.

"Enquanto as células germinais podem se tornar ou espermatozoides ou óvulos, ninguém sabia que em vertebrados as células germinativas tem um mecanismo interruptor de decidir seu próprio destino esperma ou óvulo", disse o professor Tanaka, autor sênior do artigo que apresenta os resultados publicados na Revista Science.

Os cientistas revelaram que FOXL3 funciona nas células germinativas da espécie medaka feminino "para suprimir a diferenciação em esperma." O que auxiliou no entendimento de que é evidente que em fêmeas que exibem condições com falta do gene, a função de esperma FOXL3 funcional pode ser obtida num período de tempo mais curto do que nos machos normais do tipo selvagem.

Publicidade
Publicidade

O que pode ser um grande avanço na questão reprodutiva.

"Apesar do ambiente que rodeia as células germinativas serem do sexo feminino, o fato de que o esperma funcional tem sido feito, me surpreendeu muito", disse o co-autor Dr. Toshiya Nishimura, também do Instituto Nacional de Biologia Básica.

A equipe estuda agora como o gene FOXL3 é regulado e como este gene está ligado aos fatores que determinam o sexo nas células somáticas das gônadas em medaka.

Os seres humanos não possuem gene FOXL3, mas a equipe suspeita de um mecanismo semelhante que pode estar presente na nossa espécie. O que levará os cientistas a novos estudos e novas descobertas que podem vir a determinar o destino da reprodução que conhecemos. É um estudo surpreendente e, tecnicamente, novo. Ele dará margem para que biólogos, cientistas e todo mundo tenham muito o que pesquisar.

Publicidade

#Natureza #Animais #Comportamento