Segundo um relatório mensal do Imazon do mês de maio de 2015 , o desmatamento na Amazônia Legal foi de 110%. Este número foi o maior já registrado. O número de alertas chegou em 389 quilômetros quadrados. O desmatamento foi maior no Estado do Amazonas onde houve um crescimento de 27%, deixando o Mato Grosso em segundo lugar. Os registros aconteceram principalmente em propriedades privadas.

O Imazon informou que 31% da remoção da floresta ocorreu em unidades de conservação, 13% em assentamentos de reforma agrária e 1% em terras indígenas. Já sobre a degradação florestal, que é quando as árvores não são totalmente devastadas, mas há uma exploração grande do homem gerando queimadas, houve uma queda de 79% num total de 33 quilômetros quadrados de floresta devastada.

Publicidade
Publicidade

Já em 2014 este número chegou a 159 quilômetros quadrados, de acordo com o SAD (Sistema de Alerta de Desmatamento).

Segundo o calendário de medição, entre agosto de 2014 e maio de 2015, o desmatamento acumulado foi de 2.286 quilômetros quadrados, ocorrendo um aumento de 170%. De agosto de 2013 até maio de 2014, foi de 830 quilômetros quadrados . De acordo com o SAD, o mapa de desmatamento em maio de 2015 foi de 27% total no Amazonas, 27% no Mato Grosso, 23% no Pará, 21% em Rondônia e 11% em Roraima. Os municípios que mais devastaram a floresta são: Novo progresso (PA) com 70,5 quilômetros quadrados, Lábrea(AM) com 45,4 quilômetros quadrados, Manicaré (AM) com 28,7 quilômetros quadrados e Porto Velho (RO) com 25 Km quadrados.

O Brasil engloba 60% da Bacia Amazônica. O bioma engloba 4,2 milhões de quilômetros quadrados, distribuídos em nove Estados (Amazonas, Pará, Mato Grosso, Acre, Rondônia, Roraima, Amapá, parte do Tocantins e do Maranhão).

Publicidade

Além de possuir milhares de atributos, a Amazônia é fundamental para o equilíbrio climático global

A Amazônia Legal compreende uma área de 5.015.136 Km, cerca de 60% em território brasileiro, abrigando aproximadamente 24 milhões de pessoas, que moram em 75 municípios. Contém 20% do bioma do cerrado e o maior banco genético, possuindo 1/5 de água potável do mundo. Essa rica floresta está pedindo socorro, pois a cada árvore que cai influencia no efeito estufa além de atrapalhar a cadeia alimentar.

O homem está devastando uma de suas maiores riquezas. No caso da Amazônia é ainda mais sério, pois se trata do "pulmão do mundo". Algo precisa ser feito com urgência para salvar a Amazônia, caso contrário podemos sofrer com os efeitos provocados com sua devastação.

Nesta semana o Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam) e o Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES), assinaram um contrato no Mistério da Defesa para comprar um satélite orbital capaz de monitorar 950 mil quilômetros quadrados todos os dias .

Publicidade

O investimento será de 80,5 milhões de reais, onde 63,9 milhões sairá do Fundo Amazônia e R$ 16,9 milhões serão pagos pela União. O satélite é capaz de monitorar a região da floresta mesmo com o tempo encoberto por nuvens. O que ajudará muito na luta contra o desmatamento. Segundo o Ministro Jaques Wagner, o edital está sendo finalizado e entrará em vigor o mais rápido possível.  #Natureza