Algo que independe de nacionalidade ou origem é a famosa regra áurea da pessoa que trata a outra como deseja ser tratada de fato. O que fica valendo também no modo como os humanos tratam os #Animais, domésticos ou não. Outro fato no mínimo curioso, é que por vezes os menos afortunados ou que estão passando por uma séria #Crise econômica, são os que demonstram maior espírito de caridade e altruísmo, não só com os seus semelhantes, mas também com os seres irracionais. 

A descrição acima parece que foi feita especialmente para a ilha grega de Lesbos e sua população. Lesbos é uma ilha da Grécia, que se localiza na região nordeste do mar Egeu, sendo considerada a 3.ª maior ilha do país e a 7.ª ilha em tamanho do mar Mediterrâneo, tendo uma população de aproximadamente, segundo o último censo grego, 90.000 habitantes. 

Lesbos ultimamente tem ocupado os canais noticiosos e a mídia em geral, por estar sendo um dos principais pontos de chegada dos refugiados sírios e de outras localidades do Médio Oriente, vindos da Turquia e que atravessam o mar Egeu em busca de salvar as suas próprias vidas do conflito civil que arrasa aquela parte do mundo.

Publicidade
Publicidade

Por outro lado, a Grécia parece ignorar a sua situação de país com a economia em crise e continua a receber fraternalmente centenas de refugiados diariamente que aportam nas suas praias. 

Mas não são unicamente pessoas que estão sendo amparadas pelos gregos, pois os proprietários de um bar chamado comumente de café, estão promovendo algo no mínimo inusitado. A lanchonete ou café Hott Spott, encerra as suas atividades por volta das 03:00 da madrugada com os seus clientes cativos e visitantes mais esporádicos; todavia, os proprietários da Hott Spott, deixam as portas do estabelecimento abertas para os cães de rua e vira-latas poderem assim, dormir em um lugar aconchegante e quente nas noites frias de inverno no hemisfério norte. 

O grego Efstratios Papanis, que além de ser psicólogo, é também professor de sociologia da Universidade do Egeu, registrou a foto da soneca dos #Cães e a postou no Facebook, gerando milhares de curtidas vindas de vários países.

Publicidade

Nessa imagem, os cães aparecem desfrutando e dormindo nas poltronas do café. 

Enfim, é óbvio que as cadeiras são muito mais seguras e confortáveis do que o chão frio das ruas da ilha grega. Tudo começou em julho de 2015, conforme relato de um colaborador do café, que frisou: “existe um número grande de cachorros na ilha. Certa vez quando o bar foi fechado na madrugada, os cães se aproximaram e vieram dormir aqui, nós não temos problemas com isso. Desde o mês de julho, em todas as noites, sempre pode ser encontrado um cão sobre o sofá do estabelecimento”. 

O contexto em questão faz com que a sociedade se lembre das palavras de Leonardo da Vinci: “chegará o tempo em que o homem conhecerá o íntimo de um animal e nesse dia todo crime contra um animal será um crime contra a humanidade”. E de fato, parece que os gregos da ilha de Lesbos aprenderam muito bem a praticar a verdade do provérbio do italiano, revelando ter um grande coração no acolhimento dos refugiados humanos e dos animais sem proteção.

Publicidade