Na última semana, os bombeiros registraram 3,5 mil casos de queimaduras de águas-vivas na região sul de Santa Catarina. Estes casos aconteceram nas cinco praias entre Passo de Torres e Balneário Rincão. De acordo com informações do g1, apenas na praia de Balneário Rincão são registrados 280 atendimentos em média por dia. 

Segundo os guarda-vidas é preciso tomar alguns cuidados para aliviar a sensação da queimadura. De acordo com o cabo Lindomar Romancini, o primeiro procedimento a ser tomado é procurar atendimento, para que seja feita a limpeza utilizando o vinagre e uma raspagem com o palito e as costas de uma faca para retirar os tentáculos.

Publicidade
Publicidade

Este procedimento é recomendado para evitar que mais toxinas sejam liberadas.

Esta é a época de reprodução das águas-vivas, um Plâncton que existe há mais de 650 milhões de anos. Com a capacidade de nadar de forma limitada a água-viva é controlada pelas correntes. No ano de 2015 foram registrados 600 casos de queimaduras na pele dos banhistas que frequentaram as praias da região sul de Santa Catarina. Uma água-viva pode medir de 2,5 cm a 2 m, e seus tentáculos podem chegar a 30,5 m de comprimento. 

O aumento destes Plânctons está relacionado com o desequilíbrio do ecossistema marinho. Os grandes peixes, como atum, dourado e bacalhau, os golfinhos e tartarugas são os #Animais marinhos que controlam o equilíbrio do ecossistema. Mas estes animais estão ficando em baixa. Com a pesca predatória e a morte dos golfinhos e tartarugas marinhas, o ecossistema acaba ficando desfalcado, fazendo assim com que aumente a quantidade de Plâncton (Águas-Vivas).

Publicidade

O aquecimento global também colabora para o aumento da espécie, fazendo com que a água fique mais quente. Com isto as águas-vivas se aproximam mais do litoral. Mais uma vez o homem colhe os frutos de suas ações, devastando a #Natureza sem pensar nas consequências. O pior é que a natureza devolve da pior forma possível, o aquecimento global e fenômenos como o El Niño estão aí para nos mostrar que se não pararmos de devastar a natureza a tendência é apenas pior para o nosso lado!.