E viveram felizes para sempre, ou ainda, uma história com final feliz! Ambas as frases poderiam muito bem intitular a saga de dois personagens homônimos, cujos nomes são Carlos Ambrósio. Sim, é isso mesmo! Há alguns meses um cachorro sem raça definida - ou simplesmente conhecido como um vira-lata - foi covardemente agredido pela sua dona na cidade capixaba de Cachoeiro de Itapemirim, sob a alegação de que o animal havia tentado morder uma criança da localidade. 

O cachorro, finalmente, e de forma muito justa, receberá um novo lar onde será cuidado com amor, carinho e não será mais maltratado conforme foi durante toda a sua vida.

Publicidade
Publicidade

Quem possibilitou esse presente ao animal foi o biomédico Carlos Ambrósio, que adotou o animal e anteriormente já tinha custeado todos os exames laboratoriais necessários durante o período de internação de Carlos Ambrósio (o cachorro funcionou como um meio de prestigiar o homem que foi um dos seus benfeitores, sendo batizado como o nome desse “anjo da guarda” canino).

O biomédico Carlos Ambrósio desde o início era um dos nomes iniciais que constava da lista de interessados em ficar com o cão ‘Ambrósio’, tão logo houvesse o milagre do restabelecimento do animal e ele pudesse receber alta da clínica onde estava sendo cuidado. A lista tinha mais de duzentos outros nomes.

Carlos Ambrósio, o cachorrinho, está sendo cuidado e recebendo os serviços profissionais do bondoso Marcos Lesqueves, veterinário responsável pelo animal desde o fatídico dia 28 de julho deste ano, quando foi severamente agredido.

Publicidade

Vale frisar que todo o tratamento do cão foi bancado pelo plano de saúde Petsalut. 

Cremilda da Silva Conceição Caetano, de 62 anos, dona de Ambrósio, por mais espanto que possa causar, ao invés de cuidar do cão fez justamente o contrário, já que o espancou no meio da rua com um pedaço de pau. O vídeo da surra, que foi gravado por alguém da vizinhança, que lamentavelmente também não interviu, rapidamente se tornou viral na internet, tendo um número superior a 17 milhões de visualizações. O resultado disso foi que o cachorro foi parar em uma clínica veterinária com TCE - trauma-crânio-encefálico. Ele estava inconsciente e com um dos olhos perfurados. 

Em 19 de agosto a acusada Cremilda esteve na CPI dos Maus-Tratos aos #Animais, onde foi ouvida e teve o bom senso de falar que não quer permanecer com ‘Ambrósio’. De modo sábio, durante o transcorrer da CPI, foi solicitado que o animal não fosse adotado por vizinhos da mulher e nem tampouco por seus familiares.

Foram recolhidos também dois outros #Cães da casa em que a mulher mora e se encontram neste momento no Centro de Controle de Zoonoses. A Prefeitura da cidade de Cachoeiro de Itapemirim (ES) se apressou em solicitar ao Ministério Público um norte de caráter legal a fim de que os parâmetros de adoção sejam determinados, uma vez que, legalmente, os cães ainda pertencem à mulher. #Crime