Nesta sexta-feira (7), o furacão Matthew caiu de categoria passando de 4 para 3, nas proximidades do litoral da #Flórida, EUA, onde foram registrados ventos de aproximadamente 195km/h.

Por volta das 3h horário da manhã, no horário de Brasília, Matthew direcionava-se a aproximadamente 70km/h de Palm Beach e, no sudeste de Cabo Canaveral, 125km/h, ponto provável onde tocará em terra nas próximas horas.

Um padrão de trajetória do furacão mostra que o olho de Matthew avançará perto da costa leste da península da Flórida, na sexta-feira à noite, perto da costa da Geórgia e Carolina do Sul, pelo sábado. A atriz Larissa Manoela do SBT, encontrava-se no estado da Flórida durante ocorrido, onde passou momentos de angústia e tensão.

Publicidade
Publicidade

A Flórida Power & Light, companhia elétrica e principal fornecedora de energia do do estado informou que aproximadamente 231.010 pessoas estavam com falta de energia elétrica, sendo uma maioria em Palm Beach (79.130), Martin (30.950) e também St. Lucie (23.710).

Aproximadamente 88.660 já tiveram o serviço restabelecido, chegando a um total de 268.640 pessoas que foram seriamente afetadas pela passagem do furacão. De acordo com autoridades competentes, como o governador da Flórida, Rick Scott, Matthew apresenta-se como "uma ameaça mortal para a população". 

No Haiti, que foi rota de passagem, o furacão Matthew (que também causou danos em Cuba e Bahamas) ocasionou pelo menos 339 mortes, de acordo com informações governamentais.

Barack Obama, nesta quarta-feira (5), assinou uma declaração alegando estado de emergência para os estados da Flórida, Geórgia e Carolina do Sul, destinando ajuda para superar as "condições de emergência ocasionadas pelo Matthew”.

Publicidade

O presidente Obama também cancelou algumas programações da agenda em decorrência da aproximação do furacão, pois se torna uma ameaça em massa para quaisquer eventos e aglomerações de pessoas. Um comício de Hillary Clinton no estado da Flórida foi cancelado pelo mesmo motivo. 

Houve congestionamento nas estradas de Flórida, Geórgia e outras regiões  onde as lojas de vendas de alimentos ficaram sem suprimentos conforme a aproximação da tempestade. O furacão causou a elevação das águas gerando chuvas pesadas com ventos que ganharam muita força de quarta para quinta-feira, chegando a 205 km/h. #Desastre #tormenta