Um projeto inovador pretende discutir a interdisciplinaridade da reengenharia de resíduos com a biologia intervencionista comportamental. De um lado uma quantidade de resíduos comuns de obras civis sendo coletada e reagrupada em eco-pontos para evitar uma contaminação dos lençóis freáticos e do #ambiente como um todo. Do outro, a mudança de comportamentos de estudantes de biologia visando aumentar a área de sua atuação para o cenário urbano e coletivo, juntando aplicadores de herbicidas com restos de tintas e sobras de mármores que iriam a um aterro.

Usando mudança de comportamentos para redirecionar a aula

A mudança não acontece por uma aula, ou mesmo pela sequência de atos modelados para mudar o tipo de #Comportamento que notoriamente seriam rotulados de acadêmicos.

Publicidade
Publicidade

A mudança acontece na adaptação de pequenas soluções para resolver um problema prático que é comum em ambientes urbanos: a poluição visual de pichações em uma parede de um "viveiro de mudas" de uma cidade no interior de São Paulo. A mudança ocorre porque os funcionários do viveiro vivenciam um intercâmbio com alunas de biologia de uma universidade, ao mudar o visual da entrada do viveiro utilizando sobras e detritos, visando dar um aspecto humanizado e clean, fornecendo uma identidade ao local.

Um experimento com sobras de aterro em uma parede pichada e suja

O procedimento do experimento foi simples: coleta de restos de tinta e pinceis velhos, cimento e sobras quebradas de pedras de granito doados por uma marmoraria. Todos os materiais, que seriam destinados a um aterro, servem para aumentar o problema social sobre qual o destino ambiental se deve dar a esses produtos, para reduzir o volume de aterro.

Publicidade

As alunas de biologia nunca tinham misturado uma massa de cimento, nem aplicado herbicidas com a bomba manual lateral, nem atuado diretamente em uma situação real de biologia ecológica em ambiente estritamente urbano. A duração do experimento foi de três horas. Os resultados já puderam ser medidos in loco com os carros passantes parando para observar o que acontecia na parede. Alguns pedestres curiosos perguntaram do que se tratava e a resposta simples é que era uma aula de biologia.

Resultado imediato: admiração

O resultado final foi aprovado pelos funcionários, que tiveram um exemplo de exercício de cidadania municipal no local, rotulado por eles como "o pedaço esquecido da prefeitura". A contra-partida da prefeitura foi a requalificação de 100 metros da calçada do viveiro.

Em uma segunda etapa, as alunas vão orientar colegas a fazer um outro trecho do muro, ensinando outras alunas a usarem os utensílios e materiais, e a atuar com a comunidade em atividade desse tipo, quando forem futuras professoras de biologia e pesquisadoras.

E você? O que achou do resultado final na foto? Consegue pensar em outra atividade que um grupo poderia atuar em parceria com a prefeitura de sua cidade? #Educação