O coala, mamífero que é o mascote da Austrália, está seriamente ameaçado de não aparecer mais em certas regiões do maior país da Oceania.

De acordo com um estudo divulgado pela organização ambiental WWF, o bichinho pode ser uma raridade em estados como Queensland e Nova Gales do Sul, respectivamente localizados no norte e no sul australiano.

O coala é um animal sensível e dotado de pouca agilidade em sua mobilidade. Como se verá a seguir, o fator de locomoção é uma das causas para preocupação.

A pesquisa da ONG mostra que o aumento de atividades como a mineração e a ocupação de terras para a prática da agricultura têm sido as causas mais recentes para que os coalas busquem outros lugares para habitar.

Publicidade
Publicidade

O desenvolvimento das cidades e as mudanças climáticas em nível mundial também contribuem para esse triste quadro.

Se nada for feito nos estados mencionados acima, a tendência é de que nos próximos 20 anos, todos os coalas sejam riscados definitivamente do mapa.

O declínio populacional do animal símbolo da Austrália é um pouco alarmante, já que até a década de 30 do século XX, o coala era perseguido por caçadores, visando à sua pele, ótima para ser comercializada. Em décadas mais recentes, o “peludinho” foi vítima de uma doença denominada clamídia, a qual é gerada por uma bactéria que provoca cegueira, lesões na genitália e nos olhos dos coalas e infertilidade. Sem saída para a recuperação deles, vários foram sacrificados. Em casos graves, a clamídia leva à morte.

Além disso, a sorte do coala não é das melhores ao procurar um novo habitat, porque é um animal que se locomove lentamente e, ao cruzar uma rodovia, é facilmente atropelado pelos veículos que trafegam ali – em média, ele gasta cerca de 40 segundos para ir de um lado ao outro da pista.

Publicidade

Por conseguinte, muitos coalas não sobrevivem.

Uma das pesquisadoras da ONG relata que a extinção dos marsupiais é um sinal de que as florestas de eucalipto estão sendo cada vez mais dizimadas. Elas são importantes para absorver o gás carbônico e suas folhas são o alimento preferido do animal. Sem o coala, a pesquisadora mostra o comprometimento do processo de polinização das plantas em geral.

Segundo o estudo, a solução para que essa conjuntura melhore seria a expansão e mais investimento nas áreas verdes que os coalas já adotaram como sua casa.

Curiosidades e hábitos

Animal característico da Austrália, seu nome significa em idioma aborígene “não beber”. Ele tem o “privilégio” de não tomar água com frequência, porque praticamente 90% de sua hidratação advém das folhas de eucalipto – seu alimento predileto. O coala é delicado e se mostra bem sensível a mudanças de habitat. Porém, tem poderosas garras, e uma vez que sinta ameaçado... Seu modo de vida é pautado por descanso ou cochilos de até 20 horas diárias. No restante do tempo, ele se alimenta de vegetais. #Natureza #Animais #Mundo