Publicidade
Publicidade
2

Quem nunca ouviu por aí a frase: "A Floresta Amazônica é o pulmão do planeta". Pois é, mas parece que, quando há interesse financeiro, nem mesmo o pulmão do mundo escapa das mãos dos políticos. O país passa por um momento realmente difícil financeiramente, mas conseguir investimentos tem limite, principalmente quando se trata do futuro do planeta como um todo.

A Renca (Reserva Nacional de Cobre e Associados) foi extinta pelo governo brasileiro. A reserva se localiza nos estados do Amapá e Pará. Com o intuito de conseguir investimentos na área da mineração, o presidente Michel Temer assinou um decreto oficial que trata da extinção da reserva, que foi publicada no Diário Oficial da União nessa quarta feira (23).

Publicidade

Com a decisão, se abre espaço para a exploração privada.

A área, além de ser rica em ouro e outros minérios, também possui reservas indígenas. A área é praticamente do tamanho do estado do Espírito Santo, com quase 4 milhões de hectares. O que pouca gente sabe é que a reserva foi criada ainda na época da ditadura militar, no ano de 1984. O local tem potencial para exploração de ouro, ferro, manganês e tântalo.

O Ministério de Minas e Energia propôs em março a extinção da reserva. O argumento principal era que a medida era necessária para viabilizar o potencial mineral do local e estimular a economia do Amapá e Pará.

Depois da decisão vir a público, os ambientalistas alertaram sobre os malefícios da exploração. Segundo eles, o apelo econômico pode custar o comprometimento dos recursos hídricos, perda de biodiversidade, ameaça dos povos indígenas e ainda acirramento dos conflitos fundiários.

Publicidade

A Renca é composta por outras nove áreas protegidas, entre elas estão as terras indígenas waiãpi e Rio Paru D'Este. A reserva é rica em fauna e flora e o seu desmatamento, além de acabar com essas riquezas naturais, também ajudará a agravar o problema do #Aquecimento Global.

O governo garante que a exploração não afetará as terras indígenas e as reservas naturais. Uma das preocupações é que acabe acontecendo na Amazônia o que aconteceu em Serra Pelada, a famosa e devastadora "corrida do ouro".

O Brasil está andando para trás quando o assunto é o meio ambiente e poderá passar uma saia justa na Europa. Muitos artistas e famosos, como a top model brasileira Gisele Bündchen, usaram as redes sociais para se manifestar contra a decisão do presidente.

Grande parte dos brasileiros e todas as ONGs ambientais estão se mobilizando para impedir que o pulmão do planeta seja atacado e acabe em uma tragédia no futuro. #Temer #Amazonas