A Polícia Civil está investigando a possibilidade de gatos terem sido usados como carne de churrasco na Festa de Agosto, que foi realizada em Minas Gerais, na cidade de São Lourenço. A Polícia recebeu a denúncia depois de aproximadamente 150 rabos de gatos terem sido encontrados em diversos pontos de uma rua localizada no bairro Vale dos Pinheiros. Os restos de animais foram encontrados logo depois do fim da festa que aconteceu no último dia 15.

Denise Lage, comerciante e voluntária no projeto de proteção Patrulha Animal, cedeu entrevista ao G1 dizendo que acha muita coincidência e que cabe a Vigilância Sanitária encontrar uma resposta ao que aconteceu, porém ela procurou o órgão e não teve nenhum retorno sobre como foi feito o controle das carnes vendidas nas barracas.

Segundo Luiz Roberto Bacha, gerente da Vigilância Sanitária, todas as barracas foram fiscalizadas entes do evento e durante a festa, sendo que todas estavam trabalhando dentro das normas estabelecidas. A Polícia Militar do Meio Ambiente compareceu ao local e foi feito boletim de ocorrência para investigar o que realmente aconteceu. A priori, eles acreditam que os animais podem ter sido trazidos de outras cidades.

De acordo com Márcio Teixeira de Melo, sargento, se os gatos fossem da cidade alguém teria reclamado, mas nenhum órgão recebeu reclamação sobre sumiço de animais, além disso, nada foi encontrado além dos rabos.

A polícia recolheu materiais para analisar, mas em uma análise foi possível observar que os rabos estavam raspados em forma de espiral, o que indica que o corte foi feito por alguma máquina. Marcel Junqueira, delegado, não descarta a possibilidade de que os animais tenham sido usados em rituais religiosos. Os primeiros resultados da perícia devem sair nos próximos dez dias.

A denúncia deixou a cidade em choque, principalmente os que compareceram a festa e consumiram da carne que foi vendida no local. Caso realmente o churrasco tenha sido feito com carne de gato, as pessoas que ingeriram deverão passar por exames médicos.

#Animais #Crime #Investigação Criminal