Um homem de 22 anos foi baleado mortalmente com seis tiros na noite desta segunda-feira, 24. De acordo com a investigação inicial, a arma utilizada no #Crime é de uso exclusivo das Forças Armadas. O crime aconteceu no bairro Pindorama, na região noroeste da capital.

A Polícia Civil está a partir de agora encarregada da investigação. De acordo com a Polícia Militar, que tomou conta da ocorrência na hora, no local se encontravam balas de 9 mm e de 45, que são, de acordo com a Lei, de uso restrito aos militares do Exército.

O crime parece ter sido executado com um elevado grau de competência e com a firme decisão de terminar com a vida da vítima, uma vez que o cadáver apresentava balas no tórax e nas costas, no pescoço, num braço e numa perna.

Publicidade
Publicidade

De acordo com o R7, os moradores da zona já transmitiram aos responsáveis da investigação informação sobre o principal suspeito.

É sabido também que o cadáver foi encontrado ao lado de um Volkswagen Voyage, que pertencia ao falecido. Contudo, não existem ainda dados sobre os motivos que terão estado por trás deste crime violento.

Até ao momento, não existe também uma explicação para a utilização de uma arma do Exército neste crime. Não se sabe se o suspeito é um elemento integrante das Forças Armadas, se a arma terá sido desviada através de um ato de corrupção ou se poderá ter sido roubada por algum meio ilícito. Entretanto, se acredita que os elementos fornecidos pelos habitantes de Pindorama serão determinantes para ajudar a Polícia Civil a encontrar o culpado.

Este é mais um episódio de sangue envolvendo o bairro Pindorama, depois de vários crimes semelhantes terem acontecido durante 2015 nesta zona de Belo Horizonte.

Publicidade

No início de julho, um homem foi encontrado morto na rua Chopotó com 13 balas, sem que seus vizinhos tivessem conhecimento de algum envolvimento prévio em atividades criminosas.

Já em abril, um casal foi barbaramente executado enquanto via um DVD dentro do carro, também em Pindorama. No caso, moradores da zona disseram à polícia que o morto, Wilker dos Santos, havia tentado matar um dos assassinos pouco tempo antes, sugerindo assim um ato de vingança como motivo para o crime. #Violência #Casos de polícia