A  equipe do Departamento de Operações Especiais da polícia civil (DEOESP), permanece desde a madrugada deste sábado (19/09) na comunidade Morro do Querosene, à procura de 2 adolescentes que participaram do assassinato do delegado de polícia Vanius Henrique de campos.

O #Crime foi cometido por volta das 4:00 hs nesta madrugada (19), no bairro Cidade Jardim em uma loja de conveniência. O crime foi registrado pela polícia como latrocínio ( roubo seguido de morte).

Logo que soube do crime, a polícia começou as investigações e descobriu através de testemunhas, que os assassinos eram dois menores que são conhecidos pelos apelidos de Bubu e Talibã.

Publicidade
Publicidade

Os assassinos fugiram em direção a Barragem Santa Lúcia. Segundo o delegado Anderson alcântara, responsável pelas investigações, as buscas estão sendo feita sem tempo determinado para acabar. O delegado disse: "Estamos empenhados desde as 4h, quando ficamos sabendo do crime, queremos prender os autores ainda hoje para dar uma resposta rápida". Disse ainda "Lamentamos profundamente o ocorrido, manifestamos solidariedade a todos os familiares amigos e colegas de profissão do delegado Vanius. Ele era um profissional dedicado e sua perda, não afastará a polícia civil do compromisso diário com a segurança pública".

Segundo relatos de testemunhas, o delegado já se encontrava no local quando os adolescentes chegaram, compraram algumas coisas e ainda em conversa com Vanius, um dos garotos disse que era traficante e que ganhava o salário que ganha um policial, em uma semana de venda de drogas.

Publicidade

De acordo com o delegado Luiz Flávio cortat da DHPP, disse que as pessoas que estavam no local, disseram em testemunho que, os meliantes já estavam saindo quando o delegado foi atrás deles, e começou uma briga entre eles, nessa hora um deles chutou a mão do delegado que estava com a arma em punho, a arma caiu no chão o bandido pegou e alvejou o delegado com 4 tiros. Afirmou Luiz Flavio.

O delegado foi socorrido ao hospital João XXIII onde veio a óbito, as investigações continua, e a caça aos assassinos ainda ocorre na comunidade. #Investigação Criminal #Casos de polícia