Um ladrão ousado e habilidoso, que lembra um super-herói do cinema e das histórias em quadrinhos, o "homem aranha", continua dando prejuízos para comerciantes de Venda Nova, região metropolitana de Belo Horizonte. Diferentemente do super-herói dos filmes, ele não salva vidas e, muito menos, combate o #Crime.

Ele é o autor de uma série de arrombamentos nos comércios de Venda Nova. O bandido age na calada da noite e deixa os rastros registrados nas câmeras de segurança de vários comércios que foram vítimas de arrombamento. Diante da quantidade de arrombamentos, o "super-herói" está ficando cada vez mais famoso na região.

O último registro de seus atos foi em uma loja de roupas. Ele invade o estabelecimento pelo teto, e, com a ajuda de um armário, consegue entrar com facilidade dentro da loja. Nas imagens divulgadas pelo empresário, com a ajuda de uma lanterna, ele vasculha toda a loja a procura de algo de valor e dinheiro.

Publicidade
Publicidade

Despreocupado com a impunidade, ele nem usa máscara para cobrir o rosto e age de forma premeditada: primeiramente ele destrói o alarme, procura dinheiro nos caixas, vasculha o estoque e escritório e sai pelo mesmo buraco que entrou. Seus alvos preferidos são as lojas de roupas e calçados.

Os comerciantes estão desconfiados de que o "homem aranha" não age sozinho. Uma empresária que não quis se identificar, diz que ele sempre tem um comparsa que o aguarda do lado de fora. Ele entra sozinho, enquanto o companheiro monitora o movimento nos arredores do estabelecimento.

O bandido não se contentou apenas em invadir lojas de roupas, ele já entrou em um "sacolão", que também fica na região de Venda Nova. Já ocorreram três furtos no lugar. Segundo a polícia, os três crimes foram praticados da mesma forma: o ladrão entra pelo telhado, rouba e sai pelo mesmo lugar.

Publicidade

Os comerciantes da região estão preocupados e revoltados com a folga do ladrão. Até o momento, ele tem se dado bem, mas o mesmo já foi identificado pela polícia local. O bandido já foi preso três vezes. A última prisão foi a dois meses. No entanto, como pratica o crime sem violência, está de volta as ruas e continua escalando telhados. #Investigação Criminal #Casos de polícia