Os protestos contra a presidente Dilma Rousseff aconteceram no último domingo (13) em Belo Horizonte (Minas Gerais) e houve uma aglomeração de pessoas na Praça sete e na da Liberdade.

De acordo com informações da PM (Polícia Militar) reuniram-se em torno de três mil pessoas, mas a organização revelou que foi estimada a participação de  seis mil manifestantes. O protesto foi menor em comparação com o realizado em 16/08 quando foi registrado pela Polícia Militar um público de seis mil pessoas. 

A CAMINHADA DOS MANIFESTANTES DA PRAÇA 7 ATÉ A DA LIBERDADE

As pessoas que estavam na Praça 7 ás 13 h, foram caminhando até a da Liberdade para se encontrarem com os manifestantes que lá estavam. No percurso houve gritos de "Fora Dilma", e convidavam a população a aderir ao protesto, tudo ao som do hino Nacional, bandeiras do Brasil, muitos cartazes e blusas na cor verdes e amarelas.

Publicidade
Publicidade

Todos cantavam: "Olé, olé, estou na rua para derrubar o PT" e "Chora petista bolivariano, a roubalheira do PT está acabando".  

FATOS QUE MARCARAM O PROTESTO

 O Movimento Vem pra Rua fez a venda de camisas na cor verde e amarela e a arrecadação é para ajudar o grupo a se manter. Eles são a favor do #Impeachment da presidente #Dilma Rousseff e das 10 medidas contra a corrupção (Ministério Público Federal) e pegaram assinaturas das pessoas.

Durante a manifestação aconteceu um tumulto na Praça da Liberdade. Uma mulher apareceu no local se manifestando em apoio a presidente Dilma e vestia uma blusa com os dizeres: "Xô Golpe”. Eles a xingaram e uma outra pessoa entrou no meio. As pessoas se revoltaram e gritaram: "Fora!"O tumulto se formou e elas trocaram tapas, uma multidão as rodeou e pediram para que fossem embora.

Publicidade

Os policiais fizeram um cerco e as levaram.

Um homem que estava na manifestação ameaçou furar o boneco inflável do presidente Lula que representava um presidiário, o mesmo tinha um número na frente o de 13.171. A PM interviu e o retirou do local.

MANIFESTAÇÕES EM OUTRAS CAPITAIS

Nos grandes centros populacionais do Brasil ocorreram manifestações. Na cidade de São Paulo, a concentração foi na Avenida Paulista e aconteceu em mais outras 19 capitais. A estatística informou que os menores índices de pessoas foram em São Paulo. Brasília e Belo Horizonte.

Em Curitiba houve o "Eu não vou pagar o pato" com o símbolo de um pato inflável, representando a indignação popular pelos fatos ocorridos no país, como os aumentos de luz, gasolina, gás de cozinha, etanol, alimentos, juros do cartão de crédito e de financiamentos, a alta inflação. As denúncias envolvendo a Petrobrás e a operação Lava Jato contribuíram para a insatisfação popular.

O povo está cansado das notícias relacionadas aos abusos cometidos pelos políticos, por isso saem às ruas para mostrar a indignação com o atual governo e contra a presidente Dilma que está com um alto índice de rejeição.

As manifestações irão continuar em 2016, a previsão é de que em março o povo saia novamente às ruas. #Protestos no Brasil