O Réveillon de Belo Horizonte, na Praça da Estação, nesta quinta–feira (31) foi de muita animação, shows e fogos.

SHOWS.

Os portões para o evento da virada do ano se abriram no fim da tarde e deram início aos shows.

AS APRESENTAÇÕES

A 1ª apresentação foi o "Bloco Baianas Ozadas" e se apresentaram em um clima descontraído e carnavalesco.

O 2º show foi da cantora Lexa e o funk rolou solto, animando o público presente. Em 2015 ela fez o lançamento do seu 1º CD em Belo Horizonte e sua apresentação era esperada pelos fãs.

O espetáculo continuou e veio Thales Lessa e sua apresentação foi com ares de inovação, ele é músico e compositor.

Publicidade
Publicidade

A sua #Música ´só vou beber mais hoje´se tornou conhecida  na voz de outros cantores. Atualmente reside em Goiânia, mas é mineiro do Triângulo.

Em relato falou que está cheio de expectativas para 2016 e que o ano que virá promete. Desejou saúde para ele e equipe.

Após o sertanejo se apresentar veio Flávio Renegado e Skank para fechar os shows, junto com a orquestra Sesiminas. Os cantores receberão o ano no palco e fizeram a contagem para a chegada de 2016, tudo embalada na emocionante guerra de fogos, que finalizou 2015 e brindou a chegada de 2016, a festa terminou 0h30.

AS PROIBIÇÕES E LOCAIS ESPECÍFICOS

As pessoas que estivessem usando blusas dos times de futebol foram impedidas de entrar.

Os que usarem sombrinhas de chuva, capacetes para moto, cascos de bebidas também foram barrados.

Publicidade

Foi montada uma pista própria para portadores de necessidades especiais, em frente ao local dos shows.

Também foi criado um quadro de horários especialmente para atender o público e os ônibus foram adequados para atender a demanda dos horários, juntamente com o metrô.

EVENTO E ORGANIZAÇÃO

O espetáculo é uma organização da Globo-Minas e da Arbhze. A PBH (Prefeitura de Belo Horizonte) foi quem deu o suporte, e os patrocinadores foram a Cemig, Governo de Minas Gerais e SESI – Fiemg, todos colaboraram para que o Réveillon 2016 fosse agradável.

O evento contou com 40 barracas para vender comidas e bebidas e teve 250 banheiros instalados para atender as pessoas presentes.

Contou com ambulâncias de pronto–atendimento (seis no local), uma equipe de médicos e UTI móvel.

Houve mudança nos horários dos ônibus e colocaram transportes coletivos disponíveis no encerramento do evento.

O Move funcionou na Rua Rio de Janeiro e Av. Santos Dumont após acabar o show e na Av. Antônio Carlos, o atendimento foi até 2h da manhã.

O Metrô funcionou até 1h e as pessoas ficaram despreocupadas, uma vez que puderam assistir ao show da virada com tranquilidade. #Beleza #É Manchete!