Somente nas seis primeiras semanas do ano, Belo Horizonte registrou 2.383 casos confirmados de dengue - o maior índice desde 2010. Quando comparado com o ano passado o crescimento é de mais de 6 mil por cento, uma vez que em janeiro do ano passado foram 37 ocorrências registradas.

Neste sábado (13), durante campanha de combate ao mosquito Aedes Aegipty, em Belo Horizonte, o ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, garantiu recursos para combate ao Aedes e as medidas preventivas não vão sofrer cortes no ajuste orçamentário, que deverá anunciado no mês que vem. Segundo o ministro, a verba será dedicada à compra de medicamentos, campanha de informação e para tratamento daqueles que foram contaminados ao vírus.Mas a doença prossegue prejudicando a população.

Publicidade
Publicidade

Também em BH foram registradas duas mortes, o que não ocorria desde 2010. As vítimas são uma mulher de 47 anos e um homem de 31 anos, cujas identidades não foram divulgadas. A mulher, morava na região Noroeste e chegou a procurar atendimento quatro dias após apresentar os primeiros sintomas. Ela tinha 47 anos. Já o homem, de 31 anos, morava na região Oeste e chegou a ser internado. Teve alta e retornou ao hospital, falecendo cinco dias após a nova internação.

Em todo o Estado de Minas Gerais, já são 47 mil casos prováveis da doença, o mais alto índice desde 2012. De acordo com critérios da Organização Mundial da Saúde (OMS) uma em cada oito cidades do estado apresentou "quadro compatível com epidemia de #Dengue". Segundo estudos da UFMG, "2% dos municípios – 104 no total – registraram taxa de incidência superior a 300 casos em uma população projetada de 100 mil habitantes."

Mutirão

O Brasil viveu neste sábado (13) o "Dia Nacional de Mobilização Zero" com ções de conscientização em 350 municípios.

Publicidade

O objetivo é alcançar, aproximadamente, 3 milhões de famílias em todo o País, com a participação de ministros, da presidenta Dilma Rousseff, de agentes de saúde e de 220 mil militares.

A partir da próxima segunda-feira (15), um grupo de 50 mil militares visitará residências em 115 cidades para eliminar nascedouros do mosquito. A ação segue até a quinta-feira (18).