O custo da cesta básica em Belo Horizonte atingiu o valor de R$ 408,12 no mês de março, o que significa que ela abocanha 46,38% do salário mínimo, que no início do ano foi reajustado para R$ 880,00. O índice foi divulgado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas, Administrativas e Contábeis (Ipead), ligada à Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Este valor representa um aumento de 3,46% em relação a fevereiro.

Além do aumento da cesta básica - composta por 13 produtos alimentares - a #Inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) teve um aumento de 0,73% em março. Entre os itens que compõem a cesta básica, os maiores aumentos foram da banana caturra, com 19,6%; e a batata inglesa, que registrou variação de mais de 13,39%.

Publicidade
Publicidade

Em contrapartida, o tomate - que já foi o vilão da inflação - teve queda de 2,49%, na variedade de 'tomate santa-cruz'. A farinha de trigo também teve queda de 1,35%.

Os números do IPCA em março mostram que nos últimos três meses, o aumento foi de 4,06%, elevando o acumulado do ano para 11,77%, acima da meta estipulada pelo Banco Central para 2016, que é de 4,5%, mas com um intervalo de tolerância que pode variar entre 2,5% e 6,5%.

Ainda com relação ao IPCA, que tem 11 itens variados, as maiores altas ficaram por conta dos chamados alimentos in natura, com aumento de 6,08%. No item de custos reservados à habitação, a rubrica 'encargos e manutenção' registrou alta de 2,08%. Já os chamados produtos administrados (transporte, energia elétrica, combustíveis etc.) tiveram redução 0,19% no mesmo período.

Publicidade

Em fevereiro, o IPCA teve uma desaceleração de 0,36%.

O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) da cidade de Belo Horizonte mede a evolução dos gastos das famílias com renda de 1 a 40 salários mínimos. Em outro índice, também medido pelo Ipead/UFMG, o IPCR, a variação foi de 0,59%. O IPCR significa Índice de Preços ao Consumidor Restrito e é referente às famílias com renda de 1 a 5 salários mínimos.

MAMÃO: O VILÃO DA INFLAÇÃO

Em termos de aumento de um só produto individualmente, o título de vilão da inflação vai para o mamão. A fruta, que é rica em potássio e Vitamina A, apresentou uma variação de 75,81% no mês de março. O período mais propício para a colheita do mamão vai de setembro a janeiro. #Crise econômica #Alimentação Saudável