Uma adolescente estuprada. A família e os amigos revoltados. Todos querendo justiça. O suspeito já preso e no final da história, a garota revela que tudo foi inventado e que não houve nenhuma #Violência sexual contra ela. O fato ocorreu na cidade de Santa Luzia, na região metropolitana de Belo Horizonte, Minas Gerais.

A polícia prendeu o homem suspeito de violentar uma menina de 14 anos, só que quando foi prestar seu depoimento, a jovem contou que era tudo mentira, surpreendendo a todos.

A relação sexual realmente aconteceu, mas a garota, que estava fora de casa desde o último sábado (27), contou que ela que foi atrás do homem e que a relação foi consensual.

Publicidade
Publicidade

Ela teria inventado toda a história de estupro porque teve medo da reação da família ao saber que ela tinha tido intimidade com o sujeito.

A princípio, a Polícia Militar foi informada que no bairro Esplanada, na cidade de Santa Luzia, ocorreu um estupro coletivo - nove homens teriam violentado uma adolescente de 14 anos. Imediatamente a polícia começou a procurar pelos suspeitos e logo um deles foi preso.

A garota, que não teve sua identidade revelada, fugiu de casa no fim de semana e teria mantido relações sexuais não apenas com um, mas com vários homens, porém o caso ainda será investigado da forma correta, já que a polícia tem uma outra linha para seguir.

A história fantasiosa de estupro coletivo serviu apenas para que a adolescente se livrasse do julgamento dos pais, que ficaram foi com pena da filha, até que toda a verdade foi revelada.

Publicidade

Essa jovem de 14 anos possivelmente tenha sido influenciada por uma história que vem sendo comentada em todo o Brasil, sobre a garota de 16 anos que teria sido estuprada por mais de 30 homens, entretanto, há muita gente achando que ela também está inventando essa história.

Depois da entrevista dada pela jovem ao "Conexão Repórter", que foi ao ar neste último domingo (29), cresceu ainda mais o número de pessoas suspeitando que não tenha realmente ocorrido um estupro coletivo, mas as investigações prosseguem no Rio de Janeiro, enquanto que em Minas Gerais o caso já foi resolvido e a história de estupro coletivo é realmente uma farsa. #Crime #Casos de polícia