De acordo com informações do site da Revista Época em matéria publicada nesta quinta-feira, 12, os Ministros do governo da presidente Luiz Inácio Lula da Silva já foram exonerados através do Diário Oficial da União. O primeiro da lista é o ex-presidente Luiz Inácio #Lula da Silva. Ele chegou a ser empossado no Ministério da Casa Civil, mas ficou oficialmente no cargo por menos de uma hora, pois ações judiciais impediram que Lula fizesse essa interlocução do governo. Em seu lugar, entrou Eva Chiavon, que também foi exonerada. De todos os Ministros titulares ou interinos, o único nome que sobreviveu foi o de Alexandre Tombini, presidente do Banco Central.

Publicidade
Publicidade

Mesmo já não sendo mais Ministro, Lula não tinha sido até então exonerado oficialmente, apesar disso, ele já havia perdido o foro privilegiado que o cargo lhe dava. Mesmo assim, o ex-presidente teve uma vitória no Supremo Tribunal Federal (STF), que decidiu que investigações sobre ele só poderiam ser conduzidas pela mais alta corte do país. Ele é um dos alvos da maior operação sobre corrupção realizada no Brasil, a Lava Jato. A posse de Lula no Ministério da Casa Civil ocorreu dias depois do Ministério Público de São Paulo solicitar que ele fosse preso de maneira preventiva. Dilma foi acusada de dar o cargo para seu companheiro político para que ele não fosse para a cadeia.

A expectativa da oposição agora é que o Supremo volte a condução das investigações sobre Lula às mãos do juiz federal Sérgio Moro.

Publicidade

Quem também deve perder o foro privilegiado é o advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, que também foi exonerado. Antes da decisão oficial do Senado, que votou por 55 votos a 22 o afastamento da líder petista, os Ministros fizeram uma reunião de balanço para avaliar como foi a gestão até aqui. É bom lembrar que Dilma ainda é presidente. Em até 180 dias, uma nova votação, também no Senado, julgará se ela merece ou não ser deposta. Para que exista a deposição são necessários 54 votos, um a menos do que foi registrado nesta quinta-feira, quando quatro Senadores sequer votaram.  #PT #Dilma Rousseff