Com a justificativa de contenção de gastos, a prefeitura de Belo Horizonte pretende demitir mais de 500 vigias escolares do período da noite. De acordo com a Secretaria Municipal de Educação, é necessário reduzir as despesas em 20%, e a única alternativa encontrada será o corte dos vigias que fazem a segurança no período noturno nas escolas municipais de educação infantil, as UMEIS.

Segundo informações da prefeitura, os funcionários começarão a cumprir o aviso prévio ainda esta semana. No lugar dos vigias, sistemas eletrônicos de segurança farão o monitoramento dos locais. De início, somente alarme sonoro fará a segurança dos locais em conjunto com a guarda municipal.

Publicidade
Publicidade

Câmeras de monitoramento serão instaladas posteriormente.

A Secretaria divulgou dados de que das 317 unidades, 51 já contam com o sistema eletrônico de vigilância prestado por empresas do ramo. Com esta mudança, estima-se que haverá uma economia mensal de mais de R$1,3 milhão.

A notícia não agradou os diretores das unidades e eles reclamam das demissões que serão praticadas. A SEDS (Secretaria de Estado de Defesa Social) apontou que no primeiro trimestre foram registradas mais de 650 ocorrências de furtos e arrombamentos nas escolas públicas em todo o estado.

A SindRede (Sindicato dos Trabalhadores em Educação da Rede Municipal) fez questionamentos sobre a medida, mostrando que a economia gerada na demissão dos vigias pode acarretar em gastos mais elevados.

A diretora jurídica da SindRede, Walkiria Oliveira, destaca que a medida é um prejuízo para o trabalho dos professores, dos alunos, para a comunidade e também no aprendizado.

Publicidade

Ainda de acordo com ela, a medida foi imposta por quem está dentro de um escritório, e não sabe da realidade de dentro das escolas.

Em um post no Facebook feito pelo prefeito Marcio Lacerda, ele garante que a nova medida adotada trará mais segurança tanto para os professores quanto para os alunos. O post recebeu enxurradas de críticas. Um usuário chegou a sugerir para o prefeito realize o corte de “mordomias” da Câmara do Vereadores e do Executivo. Outra internauta, que diz estar indignada, afirmou que a medida é uma penalização para as escolas e para os trabalhadores que até então prestam serviços de vigilância nas escolas. #Desemprego #Crime