O padre acusado de crimes sexuais cometido contra menores na Comunidade de São João da Chapa, Distrito de Diamantina, será julgado pelo Vaticano e poderá ser expulso da #Igreja, caso seja comprovada a prática de abuso sexual contra menores.

O padre está afastado de suas atividades na comunidade desde fevereiro, por decisão judicial. Ele comandava e residia no Centro Comunitário Infantil Padre Romano Merten. A instituição é voltada para crianças e adolescentes carentes do Distrito de São João da Chapa, e cuida de aproximadamente 100 crianças e adolescentes.

Entenda o caso

Em março publiquei uma matéria sobre o caso: "Adolescentes são abusados por padre em Minas", que indicava o abuso cometido pelo padre a um jovem de 13 anos e outro de 18.

Publicidade
Publicidade

Os abusos, segundo as testemunhas, estavam sendo feitos há pelo menos dois anos, e após uma denúncia feita por um dos pais ao Conselho Tutelar de Diamantina, o Ministério Público deu início às investigações.

Desde que as reportagens sobre o caso do pároco foram divulgadas, ele foi afastado também das atividades de padre da Paróquia da Igreja Matriz de São João da Chapa e agora está alojado em um seminário em Diamantina.

A delegada que acompanha o caso, Kiria Orlandi, da Delegacia de Atendimento à Mulher de Diamantina, disse que existe uma espécie de proteção ao padre acusado de #Crime sexual, por parte da Arquidiocese de Diamantina, e que presenciou em uma missa o padre sendo homenageado pelos serviços prestados à comunidade. "Achei um absurdo esse tipo de homenagem" relatou a delegada.

A prisão preventiva do padre foi recusada pela Justiça, porém, o Juiz da 2ª Vara da Comarca de Diamantina, Fábio Henrique Vieira, manteve as medidas cautelares em relação ao acusado.

Publicidade

Um dos padre que integra o Tribunal Eclesiástico da Arquidiocese de Diamantina relatou que o padre está privado de algumas funções na igreja, como o de realizar missas por exemplo, enquanto estiver sendo julgado. O caso do padre será levado, assim que o Tribunal Eclesiástico de Diamantina concluir o recolhimento das provas, para o Vaticano, onde o futuro do padre será definido. #Investigação Criminal