Mais um caso polêmico envolvendo o serviço de transporte #UBER aconteceu em Belo Horizonte/MG no último fim de semana e ganhou repercussão nas redes sociais. Uma jovem de 20 anos denunciou um motorista do serviço após ser assediada pelo mesmo no sábado (09) à noite. A estudante e mais três amigas fizeram uso do transporte ao deixar uma boate na zona Sul da cidade por volta das quatro horas da manhã. Uma delas solicitou o motorista pelo aplicativo no celular.

A estudante relata que elas pediram para que o motorista deixasse cada uma delas em sua residência, e que ela foi a que ficou por último. Logo após ficar a sós com o motorista, ele teria começado a puxar assuntos sobre sexo e até perguntado sobre gostos pessoais da mesma, além de hora ou outra colocar a mão em suas coxas.

Publicidade
Publicidade

Ela fala que tentava disfarçar o nervosismo e pensando se aquilo não seria imaginação da sua cabeça, mas ao chegar ao seu bairro, ele teria parado o veículo e colocando as mãos nela, na tentativa de uma aproximação maior, pediu para que ela o beijasse. Ela falou para ele que só queria ir para casa e não iria fazer o que ele pediu e somente depois de muito insistir ele prosseguiu para sua residência, mas chegou mais uma vez a tentar alguma coisa falando para ela que teria que beijá-lo naquele momento.

A jovem informou que mesmo não tendo o aplicativo instalado em seu aparelho celular costuma fazer uso do mesmo quando sai com outras pessoas. A jovem e a outra amiga que foi deixada em casa antes dela tiveram que pagar a corrida de forma particular, visto que por causa de um erro ocorrido no momento de chamar o Uber não foi possível pagar pelo aplicativo, mas foi possível comprovar a denuncia e o uso do serviço do motorista graças ao pagamento realizado por uma delas através do mesmo.

Publicidade

De acordo com a moça, logo após efetuar a denúncia foi procurada por um funcionário responsável pelo Uber, que a perguntou se precisava de alguma ajuda e a informou que todas as medidas cabíveis seriam tomadas. A jovem optou por não registrar um boletim de ocorrência.

A empresa Uber informou através de uma nota que não pode tolerar qualquer tipo de assédio e que teriam procurado a vítima para verificar a respeito de sua segurança e que o homem, motorista parceiro do transporte foi desligado da plataforma. E que sempre recomendam que seus clientes façam uso do aplicativo nas corridas para assim possibilitar o acesso às ferramentas de segurança disponíveis, pois através do aplicativo é possível saber os dados do motorista e do veículo que fará o atendimento da solicitação. É possível saber também onde o seu carro está e quanto tempo levará para chegar, e, além disso, o passageiro pode manter outras pessoas informadas, através de mensagem ou da rede social, de sua localização e em quanto tempo chegará ao destino final. #Justiça #Crime