Um homem que estava desempregado e cansado de entregar currículos sem ter nenhum retorno resolveu inovar na forma de procurar emprego. O motorista de caminhão Breno Oliveira Barbosa, de 33 anos, morador de Belo Horizonte/MG, pintou uma faixa com sua função e contato, e foi para um sinal de trânsito pedir por uma vaga.

O homem foi para a Avenida Antônio Carlos, para um semáforo perto do Corpo de Bombeiros, na região noroeste da capital mineira, no dia 13 de julho, a princípio com seu pedido de emprego escrito em uma folha de cartolina, que era direcionada aos motoristas no momento em que o sinal fechava.

Segundo Breno, certas pessoas até confundiram a sua intenção e lhe deram moedas para ajudar.

Publicidade
Publicidade

Ele também recebeu ligações de pessoas querendo doar dinheiro e cestas básicas, mas o que ele queria era um emprego. Recebeu então conselhos para fazer uma faixa com letras maiores para facilitar a leitura de quem trafegava pelo lugar e assim ele fez. Um dia depois, voltou ao mesmo lugar com uma faixa e os seguintes dizeres: “SOU PAI DE FAMÍLIA. Preciso urgente de um emprego”.

A boa ação de um jovem que passou pelo local foi de grande importância para o motorista. Pedro Henrique ficou tocado pela situação, tirou uma foto e postou no Facebook pedindo #ajuda para o homem. A sua intenção era que houvesse uma corrente: “Quem sabe alguns amigos possam compartilhar também e esse senhor consegue algum emprego”, informou em sua publicação. Em menos de 72 horas, a publicação de Pedro teve mais de 12 mil compartilhamentos e Breno recebeu mais de 70 ofertas de emprego. 

Desemprego

Segundo Breno, ele nunca imaginou que sua atitude teria tamanha repercussão e ficou muito feliz.

Publicidade

O caminhoneiro informou que estava desempregado há um mês e, como vive de aluguel, não podia ficar esperando "sentado" uma oportunidade aparecer, por isso resolveu fazer a faixa sem ter vergonha nenhuma disso. Ele afirmou ainda que teria vergonha se estivesse roubando, e que prefere ser visto como um pai de família pedindo emprego do que como um pai de família que rouba para sustentar os seus.

Breno disse que por causa da sua atitude e da publicação do Pedro, dois dias depois da sua primeira ida ao sinal, já havia conseguido um trabalho como motorista de caminhão. Ele se diz agradecido à empresa Agromax que o contratou, e disse que até recebeu outras ofertas de emprego antes dessa, mas procurava uma vaga que desse motivação, que o que faz de melhor é trabalhar com caminhão. 

Para Breno, não faltam vagas de trabalho, mas acesso às mesmas, que geralmente são preenchidas somente por indicação. Graças à contribuição simples de um desconhecido, Breno voltou ao mercado de trabalho e teve sua carteira assinada nesta segunda-feira, dia 1º de agosto.  #solidariedade #Desemprego