A que ponto está chegando a humanidade, não existe mais tolerância para nada e a solução para algumas pessoas é tirar a vida de seu próximo e para não ter que assumir o erro e pagar pelo #Crime cometido, tirar a própria vida. Temos visto muitos homens e mulheres cometendo crimes de natureza passional, por não aceitarem o fim de um relacionamento e na hora da indignação não conseguem pensar sequer nos filhos, que foram frutos dessa relação.

Mais uma família foi destruída nesse fim de semana, na noite de sábado (24), em um crime hediondo que aconteceu em Minas Gerais, na pequena cidade de #Pompéu, que possui uma população de pouco mais de 30 mil habitantes.

Publicidade
Publicidade

Todos ficaram chocados com a barbaridade do crime, em que um homem foi capaz de tirar a vida da ex-mulher e da ex-sogra e cometer #Suicídio em seguida.

O homem de 31 anos estaria inconformado com o fim do relacionamento com a ex-esposa, de 18 anos, e por isso invadiu, armado, a casa da ex-sogra, de 50 anos, a encontrando sentada no sofá da sala e a atingiu com 4 tiros. Em seguida o rapaz foi até a ex-esposa, que se encontrava em um quarto da residência com a filhinha do casal no colo, e a atingiu com 2 tiros. Após essa barbaridade, ele recarregou a arma e deu dois tiros, atingindo a própria cabeça e tirando a sua vida.

As informações sobre o crime foram repassadas à Polícia Militar por uma ex-cunhada do rapaz, que presenciou tudo. A mulher, de 26 anos, disse que quando percebeu que o rapaz estava armado até tentou empurrá-lo para evitar o crime, mas não teve sucesso.

Publicidade

A filhinha do casal não chegou a ser atingida.

O homem morreu no local dos crimes, já a jovem e sua mãe foram socorridas por uma ambulância do PAM- Pronto Atendimento Municipal da cidade, mas não resistiram e entraram em óbito ao darem entrada na unidade de saúde. Mãe e filha foram enterradas na manhã deste domingo (25), em um Cemitério Municipal da cidade, e o rapaz seria enterrado na tarde do mesmo dia.

Segundo informações repassadas pela Polícia Militar da cidade, o assassino não possuía passagem pela polícia e a arma, usada para cometer essa atrocidade e destruir essa família, foi recolhida por policiais da Polícia Civil.