Um esquema de roubo a casas terapêuticas foi desarticulado pela Polícia Civil. De acordo com a delegada Danúbia Soares, responsável pelo caso, Lívia da Silva Bavozi, 30 anos, trabalhava como plantonista em oito instituições terapêuticas, que abrigam idosos e pessoas com doenças mentais. Segundo a Polícia Civil, a funcionária teria utilizado de informações sobre o funcionamento de duas casas de acolhimento para roubar dinheiro e pertences de pacientes e funcionários.

Os crimes

Os crimes foram nos últimos dias 7 e 13 de novembro em duas instituições, uma no bairro Santa Amélia e outro no Floresta. Entre os itens levados estão aparelhos de televisão, telefones celulares e cerca de R$ 1 mil dos pacientes.

Publicidade
Publicidade

Os suspeitos de efetuarem os roubos são Raimundo Antônio Batista de Brito, 26 anos, que já está preso, e outros dois adolescentes, ainda não identificados.

De acordo com a delegada Danúbia Soares, no dia 13 de novembro, Raimundo rendeu um paciente idoso e o agrediu para conseguir entrar em uma das casas. Os suspeitos estavam armados e ameaçaram internos e funcionários. "Eles faziam referência ao dinheiro que era guardado em uma “bolsinha”. Eles já conheciam o funcionamento da casa e onde os pacientes guardavam os pertences pessoais o que levantou a desconfiança sobre a participação de que alguém de dentro da instituição”, explicou a delegada.

Outra pista deixada pelos suspeitos foi o carro utilizado nos crimes, que pertencia a Lívia. Nas redes sociais, a cuidadora e Raimundo posam juntos em diversas fotos, mas ele nega que tenha algum relacionamento com a investigada.

Publicidade

Segundo o suspeito, ele não tem participação no #Crime mas testemunhas chegaram a reconhecê-lo como o responsável pelos roubos.

Além de ter chegado a agredir um dos pacientes e ameaçar as vítimas, Raimundo também destruiu um telefone fixo de uma das casas e o portão de outra. O suspeito foi preso em sua casa em Santa Luzia, na última segunda feira, 19, em uma operação da Polícia Civil e deve responder pelos crimes de roubo qualificado, dano e vias de fato. Lívia continua sendo investigada, a prisão dela chegou a ser solicitada à Justiça, mas não foi deferida.

A investigação

As investigações continuam para identificar os dois adolescentes que também teriam participado dos roubos. Lívia foi demitida da casa depois de apresentar um atestado médico falsificado, crime pelo qual ela também será investigada. #Casos de polícia