A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) prendeu, na última quarta-feira, 4 de janeiro, José Maria Caetano, de 47 anos, e Deivson Ferreira da Silva, 26, e uma operação com o objetivo de reprimir o #Tráfico de #drogas.

A dupla foi presa em flagrante e junto com eles foram apreendidos 265 quilos de maconha, mil e oitocentos reais em espécie e um Fiat/Strada Adventure. A droga e os demais objetos apreendidos estão à disposição da Justiça. As prisões e apreensões aconteceram em Vila Francisco Mariano, na região metropolitana de Belo Horizonte, em Contagem.

Os suspeitos

A dupla já foi encaminhada ao sistema prisional do estado de Minas Gerais.

Publicidade
Publicidade

Os suspeitos foram presos pelos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico. A pena para esses crimes pode chegar a 15 anos de prisão.

José Maria Caetano e Deivson Ferreira da Silva também são suspeitos de integrar uma organização criminosa. De acordo com o delegado, Fernando Miranda, responsável pelo caso tudo indica que José Maria, não só abastecia os pontos de vendas de drogas, como também possui estreita ligação com traficantes paulistas. "Ele (José Maria) é o personagem principal da organização e o elo com traficantes de São Paulo", disse o delegado.

As investigações apontam que a organização da qual fariam parte seria responsável pelo depósito e distribuição de drogas em bairros de Contagem e de Betim, como também na região metropolitana de Belo Horizonte, e em aglomerados da capital.

Publicidade

Os levantamentos da Polícia Civil mostraram que os acusados movimentavam grandes quantidades de entorpecentes e que utilizavam como depósitos para as drogas suas residências e um galpão desses locais as drogas eram carregadas para os pontos de distribuição.

As investigações

A Polícia Civil continua os trabalhos investigativos para para identificar e prender pessoas que agiam em parceria com a dupla para assim por fim ao esquema de drogas controlado pela quadrilha tanto em Minas Gerais quanto em São Paulo.

Ao todo foram dois meses de investigações dos agentes do Departamento Estadual de Combate ao Narcotráfico (Denarc) para chegar a dupla de suspeitos de tráfico. Os trabalhos investigativos incluíram tanto trabalho de campo quanto serviço de inteligência. #Crime