Na noite desta terça-feira, 26, alguns dos imigrantes haitianos que se encontram em um alojamento na cidade de Brasiléia, no Acre, se revoltaram com os alimentos recebidos através de marmitas. Segundo eles, a refeição chega com má qualidade, por isso tomaram a decisão de protestar e jogá-las no chão, na esperança de que a empresa que ganhou a licitação para fornecer-lhes alimentos faça mudanças e melhore o fornecimento. A licitação rendeu R$ 1 Milhão de reais para que sejam investidos em três refeições por dia para esses imigrantes. Segundo o AC 24 Horas, não é a primeira vez que situações como essa acontecem com eles.

Só em 2015 o número de imigrantes do Haiti para o Brasil atingiu a marca de 7 mil, todos pelo Acre.

Publicidade
Publicidade

De lá, grande maioria deles vão para uma Comunidade Católica em São Paulo onde a mesma, segundo o diretor Padre Paolo Parise, não comporta mais, chegou ao limite da capacidade. De acordo com o Ministério da Justiça, o Brasil vai elaborar melhorias para esse quadro, é necessário tempo para que tudo se resolva, pois o Estado brasileiro é acolhedor e não deixaria os 'irmãos' à mercê da sorte.

Segundo dados do G1, apenas em sete dias foram transportados mais de 500 haitianos, de ônibus, do Acre para São Paulo. Os que ainda estão no Norte do país aguardam a sua vez de viajaram para o sudeste e se estabelecerem, procurarem trabalho e viverem decentemente.

No abrigo que há na cidade de Brasiléia, encontram-se 2.500 imigrantes, não somente haitianos, mas pessoas de várias nacionalidades. Segundo informações, essas pessoas vivem de forma precária e bastante preocupante.

Publicidade

A maioria deles saíram dos seus países por situações de calamidade pública e/ou guerra, onde os mesmos passavam fome e corriam risco de vida.

No entanto, há outro empecilho para que eles ainda não sigam viagem para o Sul e Sudeste do país; o Rio Madeira, em Rondônia, sofreu uma cheia e esta impedindo a passagem de veículos na BR - 364, esse motivo faz por onde o quantitativo de imigrantes só aumente ocasionando uma situação ainda mais precária no abrigo.

Ainda de acordo com o Ministério da Justiça, o Brasil vai organizar os estados e municípios para que se melhore a assistência aos imigrantes que chegam em desespero. O ideal é que não somente instituições filantrópicas façam isso, o Estado brasileiro precisa dar uma vida digna aos imigrantes aqui no país. #Governo #Manifestação