Em pesquisa realizada e divulgada pelo IBGE, a Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios), foi evidenciado o aumento do número de profissionais que passaram a trabalhar por conta própria no Brasil. De março de 2014 a março de 2015, 868 mil brasileiros investiram em trabalhos independentes. Esse dado acabou sendo determinante para impedir o aumento da taxa de desempregados no país.

Segundo o IBGE, no mesmo período em que foi realizada a pesquisa, 740 mil pessoas perderam seus empregos, e apenas 359 profissionais foram contratados. Atualmente, 46,1 milhões de pessoas estão empregadas no setor privado, com e sem carteira assinada.

Publicidade
Publicidade

Com a atualização dos dados feito pela pesquisa, a taxa de #Desemprego no Brasil agora é de 7,9%. No entanto, poderia ser de 9,2%, não fosse a constatação do aumento de profissionais autônomos no país, classe que se enquadra, dentro do rótulo apresentado pelo IBGE, como população ocupada e não desocupada.

O IBGE considera que por estarem desenvolvendo trabalhos por conta própria, estes profissionais não estão procurando emprego, portanto, não podem ser considerados como desempregados. #Trabalho #Crise econômica