Segundo o site G1, a presidenta Dilma amarga o pior índice de aprovação de seu #Governo. Aqueles que acham seu governo ótimo ou bom representam apenas 8% da população. Esse índice tão baixo ganha explicação nos bastidores do Planalto, que responsabiliza dois fatores: a difícil situação econômica do país e o escândalo de corrupção da Petrobrás.

Esse cenário vem ganhando contornos dramáticos dentro do #PT, que vem hostilizando o ministro Joaquim Levy com críticas ao ajuste fiscal implementado pelo Governo Federal. Dilma saiu em defesa do ministro, em entrevista ao jornal O Estado de S.Paulo, afirmando que Levy não é " Judas ". Mesmo assim, o 5o Congresso do Partido dos Trabalhadores ( PT ), que acontecerá em Salvador, a partir dessa quinta-feira (11), deverá ser um fórum de discussões sobre as políticas propostas pelo Governo para colocar a economia do Brasil novamente nos trilhos.

O clima de descontentamento entre os petistas deve estar preocupando a presidenta, que resolveu antecipar a sua volta de Bruxelas. Dilma viajou para Bélgica, onde chegou na manhã desta quarta-feira (10), para participar da reunião de cúpula entre a União Européia e a Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos, e sua volta estava prevista para sexta-feira (12). No entanto, conforme divulgado no jornal Estadão, uma fonte de sua comitiva na capital belga garante que a volta será nessa quinta-feira pela manhã, em direção a Salvador, sugerindo que a presidenta deverá chegar a tempo de participar do congresso do PT.

A aprovação do governo Dilma também é impactado pela inflação oficial, que calculada pelo índice de Preços ao Consumidor Amplo ( IPCA) bateu 0,74% em maio, e acumula nos doze últimos meses a taxa de 8,47%, a maior desde dezembro de 2003. A alta da inflação é sentida pelo trabalhador brasileiro toda vez que vai ao supermercado. O grupo alimentação e bebidas foi o que mais subiu em maio, com alta de 1,37%. Segundo a coordenadora do IBGE, o item alimentação representa quase 25% do orçamento familiar. #Dilma Rousseff