Uma pesquisa realizada pelo jornal O Estado de São Paulo identificou um dado alarmante para a população brasileira. Nos últimos 16 anos, o número de mortes relacionadas a depressão cresceram 705% no Brasil. O Estadão divulgou ainda o crescimento no número de mortes por suicídios motivados por problemas depressivos.

Para o psiquiatra Sérgio Lima, mestre em psicologia e diretor da clínica Spatium, referência em todo o país no atendimento psiquiátrico e psicológico, este crescimento se dá em parte ao maior acesso a informação na área de saúde e, com isso, um aumento na capacidade de se dar um diagnóstico.

"Diminuiu-se, também, o temor de se ter um quadro psiquiátrico com a divulgação da humanização do tratamento psiquiátrico em geral.

Publicidade
Publicidade

Outra parte do crescimento que tem a haver com a longevidade do ser humano. Hoje, não se morre tanto de doenças infecciosas-parasitárias como no passado. Isso tornou-nos mais longevos e longevidade aumenta a incidência de quadros depressivos", explica.

"Ainda, acrescentaria no bolo do aumento da estatística de quadros depressivos, um mal estar na vida civilizada com o crescimento das possibilidades de socialização que a tecnologia nos trouxe. Excesso de socialização não significa 'felicidade' como a indústria cultural tenta nos vender. Frequentemente quem tem demais, não tem nada. A pior solidão é aquela no meio da multidão", conclui o psiquiatra.

Terceira Idade apresenta índices mais preocupantes

Ainda de acordo com o levantamento do jornal Estadão, os idosos, membros da chamada terceira idade, correspondem à faixa etária com os maiores índices de crescimento em relação às mortes por depressão, atingindo a preocupante marca de aproximadamente 155% de aumento nos casos, sobretudo, de suicídio, durante o período levantado.

Publicidade

"Atribuo isso a questão da longevidade que descrevi acima, não se morre mais tanto de doenças infeciosas-parasitárias, o câncer já não mata tanto como no passado porque é precocemente diagnosticado, mas o processo de envelhecimento do nosso cérebro continua o mesmo e isto permite mais acometimentos depressivos. Por isso o idoso é uma estatística grande nos quadros depressivos. Por isso o numero de mortes é grande. Um dos sintomas da depressão é a ideação de morte ou de se matar (suicida)", diz Sérgio Lima.

Sintomas e Recomendações

São diversas as manifestações de sintomas de depressão no indivíduo. Tais sintomas podem se manifestar de formas diferentes e complexas a depender de cada pessoa. Fatores externos relacionados a vida contemporânea, como o estresse e a competição no mercado de trabalho estão relacionados as causas da #Doença. O psiquiatra Sérgio Lima aponta alguns dos sintomas mais claros.

"Basicamente, uma diminuição na vontade de fazer as coisas, ou se faz elas já não causam mais tanto prazer e satisfação como antes, perda de interesse pela vida ou pelo futuro, diminuição da capacidade de concentração, cansaço, sensação de sempre estar extenuado, aumento ou diminuição do sono podendo chegar a insônia.

Publicidade

Aumento ou diminuição do apetite, ideias de culpabilização ou de desvalorização, diminuição da autoconfiança e da autoestima", afirma.

O psiquiatra também orienta sobre os procedimentos recomendados para quem já apresenta algum sintoma de depressão. "Sugiro procurar ajuda, dificilmente o quadro de uma depressão se reverte sem auxílio de alguém especializado. O que pode haver é uma minoração dos sintomas, mas ainda mantendo o quadro depressivo. Hoje, existem muitos psiquiatras, psicólogos e outros profissionais da saúde mental espalhados pelos mais diversos serviços de saúde e educação. Para a família a sugestão é auxiliar o seu familiar a buscar auxilio com profissionais da área de saúde mental", recomenda Sérgio Lima. #Medicina