Apesar de estar em franco desenvolvimento, com um aumento significativo de turistas viajando pelo país, e representar atualmente a quase 10% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, o setor de viagens e #Turismo no Brasil ainda possui uma logística deficitária, além de diversos outros problemas, sobretudo, nos aeroportos, portos e rodoviárias brasileiras. Além disso, o mal atendimento sofrido pelos passageiros é um tipo de reclamação evidente nesses locais.

"Infelizmente, salvaguardando raríssimas exceções, os passageiros não possuem o tratamento adequado e digno que merecem, se sujeitando a situações absurdas e abusivas em relação a atraso do transporte, não cumprimento dos pacotes contratados junto às operadoras de turismo por ineficiência dos parceiros, perda e furto de bagagem, não cumprimento pelas companhias de transporte aéreo/terrestre/marítimo no que tange ao fornecimento de assistência material, alimentação, acomodação ou comunicação devido a questões de atraso ou cancelamento da viagem, não observância das regras legais para transporte de deficientes, dentre outros", afirma o advogado Fabricio Posocco.

Publicidade
Publicidade

"Todavia, como ponto positivo, podemos ressaltar que alguns prestadores de serviço (as exceções), vêm entendendo a importância do respeito para com os passageiros e vem aumentando sua fatia de mercado, chegando até mesmo a receberem elogios públicos dos consumidores. Da mesma forma, denotamos atualmente um empenho dos órgãos de fiscalização e controle para moralizar essa situação, e até mesmo, a criação dos Juizados Especiais nos aeroportos do país é um avanço a ser considerado, a fim de trazer uma pronta resposta àqueles que tiveram seus direitos violados pelas companhias aéreas", conclui o advogado.