De acordo com especialistas, um dos motivos para não abrir mão de um processo contra algum aeroporto ou a qualquer outro tipo de serviço de transporte é o valor da indenização que pode ser obtida caso a Justiça chegue a conclusão de que o passageiro em questão sofreu, de fato, danos morais e materiais.

Danos materiais se configuram quando o passageiro sofre prejuízos econômicos devido a algum problema originado por conta do mal serviço prestado. Já os danos morais são configurados quando ocorrem violações dos aspectos subjetivos que extrapolam o mero aborrecimento do passageiro. Os valores das indenizações são variáveis em média de R$ 3.500,00 a R$ 15.000,00 no Juizado Especial Cível.

Publicidade
Publicidade

"Caso não exista Juizado Especial no aeroporto, o Poder Judiciário poderá ser procurado posteriormente, através de advogado, podendo a ação ser ajuizada no domicílio do próprio passageiro. Para exigir essas indenizações, é muito importante guardar o comprovante do cartão de embarque, os comprovantes dos gastos eventualmente realizados, os documentos relacionados a atividade profissional que seria cumprido no destino, ou até mesmo os impressos de internet que podem comprovar a ocorrência de Férias/Viagem Frustrada", orienta o advogado especializado Fabricio Posocco.

"Por fim, é interessante também que o passageiro fotografe ou filme tudo para comprovação através de seu telefone celular para apresentar as imagens da ocorrência em juízo", conclui o advogado.

#Legislação