A brutalidade do crime cometido contra Patrícia Xavier da Silva, de 21 anos que teve seu bebê retirado do seu útero ainda comove toda a cidade de Ponte Nova em Minas Gerais.

Mas a polícia que está atuando incansavelmente nesse caso, encontrou na manhã desta quarta-feira (01), um bebê que pode ser o filho de Patrícia e Leonardo. O bebê estava com um casal próximo ao local do #Crime o que chamou a atenção dos investigadores, quando foram questionados sobre a criança afirmaram que eram os pais da mesma, porém caíram em contradição, assim foram imediatamente conduzidos a delegacia onde foi expedido o pedido de prisão preventiva dos dois. Um terceiro suspeito também teve sua prisão preventiva decretada, a investigação chegou até o mesmo através de uma nota fiscal que foi encontrada na lavanderia abandonada, local onde o crime aconteceu.

Publicidade
Publicidade

A polícia Civil não descarta a possibilidade de mais um participante no assassinato de Patrícia.

Bebê passa bem

O bebê é um menino saudável e passa bem segundo informações da polícia civil. O delegado Silvério Rocha Aguiar responsável pelas investigações sobre o crime, informou que o bebê está sob os cuidados de assistentes sociais e vai ser submetido a um exame de DNA para comprovar que é realmente filho da Patrícia, o resultado do exame pode demorar até 30 dias.

Mulher confessa o crime

A suspeita de matar covardemente a grávida confessou o crime. A princípio, Gilmara Silva Patrocínio negou o envolvimento na morte de Patrícia, porém depois de cair inúmeras vezes em contradição acabou confessando que matou a jovem mãe de 21 anos que estava no nono mês de gravidez, para retirar o bebê que ainda estava na barriga de Patrícia.

Publicidade

O marido de Gilmara não teve seu nome divulgado, mas também confessou participação no crime. O casal que confessou o crime também são moradores de Ponte Nova

Reconstituição do crime

A polícia civil informou que pretende levar Gilmara e seu marido para fazer a reconstituição do crime ainda nesta sexta-feira, dia 03, pois  restam muitas dúvidas sobre o que motivou esse crime extremamente brutal.

O corpo de Patrícia ainda está no IML aguardando para ser liberado. A família está muito abalada e não passou maiores informações sobre o velório e enterro da vítima. #Justiça