O Ministério da Previdência Social divulgou um balanço ontem (9) sobre as paralisações, foi constatado que 322 agências estão funcionando de forma parcial e 212 agências estão totalmente paradas, do total de 1.605 unidades que o país tem. Esses dados não incluíram as unidades do estado de São Paulo em função do feriado estadual.

De acordo com Sandro Cezar esse balanço feito pelo Ministério da Previdência Social está errado, visto que o nível da #Greve está crescendo e 80% dos servidores já aderiram, diferente do que o balanço diz que mil servidores estão parados.

Segundo o balanço, a greve não afetou os estados de Tocantins, Roraima, Rondônia, Espírito Santo, Amazonas, Alagoas e Acre.

Publicidade
Publicidade

Na atualização dos dados divulgados, 1.745 servidores faltaram por motivo de greve, ou seja, 5,3% do total de trabalhadores da previdência.

A reivindicação é que o reajuste salarial dos servidores seja de 27%, 6% a mais do que o #Governo tinha oferecido aos servidores federais. Além disso, os servidores também querem concurso público para a contratação de mais funcionários e que a gratificação por desempenho seja incorporada ao salário. Sandro alega que a greve será mantida até que tudo seja atendido e que quando o movimento acabar, os servidores estarão dispostos a trabalhar além para repor o que deixou de ser feito.

O INSS e o Ministério informaram que estão mantendo uma relação de respeito e de abertura ao dialogo com os servidores, por isso as portas estão abertas para que os representantes apresentem uma solução que possa contemplar todos os interessados.

Publicidade

A população que está sem atendimento em função da greve, poderá ter o atendimento reagendado na própria agência. Também é possível remarcar através do telefone, até o dia depois em que seria a data do atendimento. Para evitar prejuízos financeiros, o instituto levará em consideração a data do primeiro agendamento, assim, caso o segurado tenha o benefício cedido, ele receberá a partir dessa data e não da data do real atendimento. Resta esperar que tudo se resolva o mais breve possível.