Mais um nome foi indicado pela Polícia Federal no escândalo da #Corrupção da Petrobrás. Desta vez, foi o empresário baiano Marcelo Odebrecht, presidente da principal empreiteira do Brasil, que leva o seu sobrenome. Dentre as acusações estão: lavagem de ativos e crime contra a ordem econômica, dentre outras, todas mediante contratos assinados com a maior empresa de petróleo do país.

O delegado que investiga o caso, Eduardo Mauat da Silva, apontou, em um relatório de 64 páginas, os nomes de outros integrantes da empresa Odebrecht pelos mesmos crimes realizados pelo presidente do grupo, Marcelo, todos afastados após terem sido presos pela 14ª etapa da Operação #Lava Jato, nomeada como Operação Erga Omnes, no último domingo, dia 19 de julho.

Publicidade
Publicidade

O relatório seguirá agora para o Ministério Público Federal, onde será avaliado.

Manutenção das prisões

O relatório solicita a manutenção da prisão preventiva de todos os acusados. Além de Marcelo Odebrecht, os outros envolvidos são: Cesar Ramos Rocha, Rogério Santos de Araújo, Marcio Faria da Silva e Alexandrino de Salles Ramos de Alencar. Ainda segundo o relatório, a saída dos acusados da prisão pode comprometer negativamente a continuidade das investigações e comprometer a ordem pública.

Destruição de e-mails

Além das acusações de participação e comando dos esquemas de corrupção referentes aos contratos fraudulentos com a Petrobrás, Marcelo Odebrecht também está sendo indiciado por tentativa de dificultar as investigações sobre o caso, por ter autorizado a destruição de e-mails.

Publicidade

De acordo com a Polícia Federal todos os acusados são cumplices do presidente da Odebrecht, pois, sabiam de toda a tentativa de "driblar" as investigações.

Nota da Odebrecht sobre o caso

A empreiteira brasileira divulgou em nota que já esperava pelo indiciamento dos membros integrantes da empresa, mesmo não vendo fundamento cristalizado para isso, e que vai aguardar o melhor momento para executar a defesa dos mesmos. O Ministério Público Federal deve formalizar a denuncia contra os acusados nos próximos dias. #Petrobras