No sábado (11), Vicente Pires, prefeito de Cachoeirinha (RS) pelo PSB, perguntou em rede social "quantos urubus morreram hoje?", causando a revolta imediata da população da cidade, que vem enfrentando um surto comunitário de meningite há uma semana.

A assessoria de imprensa da prefeitura confirmou, através de seu diretor de comunicação, Alessandro Schlesnner, que a publicação foi feita pelo próprio prefeito. Este seria um desabafo motivado por "uma semana muito difícil pelo caos vivido na cidade e toda a pressão", nas palavras dele em entrevista ao Grupo RBS.

O prefeito, em entrevista a outro jornal do mesmo grupo de comunicação, se defendeu dizendo que: "de maneira alguma foi para tripudiar em cima da tristeza", e que o termo "urubus" teria sido usado para se referir a pessoas que "criaram um clima de terror dentro do município".

Publicidade
Publicidade

Casos de meningite em Cachoeirinha

Cachoeirinha foi o primeiro município do Rio Grande do Sul atingido por casos de meningite neste ano.

A secretaria da saúde confirmou o óbito de uma menina de doze anos em decorrência da doença no dia 06/07 e, um dia depois, confirmou a segunda morte, desta vez de um menino de oito anos. O pai do menino conta em entrevista ao G1 que havia levado o filho ao hospital duas vezes e os médicos haviam descartado a possibilidade da doença.

Além dos dois óbitos, o município ainda registrou outros dois casos de meningite na mesma semana, sendo que todas as pessoas contaminadas residiam no bairro Jardim Betânia.

Após a segunda morte, o município decretou estado de emergência e o Ministério da Saúde configurou a situação como "surto comunitário", levando à realização de um mutirão de vacinação no bairro.

Publicidade

Justiça determina que prefeitura vacine todas as crianças e jovens de até 20 anos

Na quinta (09), a prefeitura havia decidido antecipar as férias escolares e, na sexta (10), a juíza Anabel Pereira deferiu a liminar proposta pela OAB que obrigaria a prefeitura a ampliar a vacinação contra a meningite, fazendo com que ela chegasse a todas as crianças e jovens de até 20 anos. Para que isso ocorra, foi estipulado um prazo de cinco dias a partir de domingo (12).

No entanto, na noite de domingo, Vicente Pires afirmou em entrevista que a cidade não conseguirá cumprir o que foi determinado, pois não há doses de vacinas o suficiente.

De acordo com o prefeito, para que conseguisse as 30 mil doses necessárias, o Ministério da Saúde deveria classificar a situação como "epidemia", e não como "surto comunitário", o que só ocorrerá, segundo ele, caso o número de vítimas aumente.

Ou seja, para que todas as pessoas de até 20 anos possam ter direito às vacinas determinadas pela justiça, mais pessoas teriam que ser infectadas pela doença.

Publicidade

Casos de Meningite no RS em 2015

Cachoeirinha não é o único município do Rio Grande do Sul que vem apresentando casos fatais de meningite.

Duas mortes já foram confirmadas em São Leopoldo e outra em Camaquã, todas cidades da região metropolitana de Porto Alegre, totalizando, até o momento, cinco óbitos causados pela meningite no RS. #Medicina #sistema de saúde