Além do constante aumento do desemprego já identificado no Brasil, foi evidenciado também, nesse primeiro semestre de 2015, o crescimento contínuo do trabalho informal no país. Segundo dados da PME (Pesquisa Mensal do Emprego), realizada pelo IBGE, nas seis principais regiões metropolitanas brasileiras, houve aumento de 7,5% na taxa de #Desemprego, registrado no mês de julho.

Ainda segundo a Pesquisa, houve também o crescimento do mercado informal no Brasil, ocorrido na primeira metade deste ano, correspondente a aproximadamente 60 mil novas pessoas trabalhando por conta própria, ou seja, de forma autônoma, sem contar com os benefícios e a proteção da legislação trabalhista brasileira, quando se está empregado com carteira assinada. 

“Uma situação está fortemente ligada a outra.

Publicidade
Publicidade

O crescimento do trabalho informal ou autônomo no Brasil é muito motivado pelos cortes de empregos com carteira assinada, e, claro, pela escassez de surgimento de novas oportunidades de trabalho no setor privado. É importante que o #Governo ajude essas pessoas que estão apostando em negócios próprios para sobreviver, facilitando o trabalho destes, mas sem esquecer de investir em meios para solucionar a #Crise econômica do país, pois, é importante que os trabalhos com carteira assinada voltem a crescer por aqui”, afirma o economista Adriano Fonseca.