Ainda é preciso fazer muito para que haja a igualdade em diversos setores da sociedade brasileira. Disso todo mundo já sabe, mas é muito positivo quando um líder religioso se posiciona a favor de um desses grupos que muitas vezes são marginalizados. Nesta quarta-feira, 19, um discurso do bispo da Igreja Universal do Reino de Deus e dono da TV Record, Edir Macedo, chamou a atenção pelo tom. O comentário feito há uma semana só agora reverberou nos meios de comunicação. Em um discurso, o bispo teria dito que nem Deus faria nada contra os homossexuais, portanto, ele não poderia ser contra as pessoas que são gays. Macedo ainda teria criticado pastores de sua igreja e também de outras que condenam grupos LGBTs ou que chegam a dizer que gays não vão para o inferno, sugerindo assim que o fato de ser homossexual não faria alguém ter um encontro com o demônio.

Publicidade
Publicidade

O discurso foi feito durante o programa 'Palavra Amiga'. Edir Macedo fez questão de dizer que não tem nada contra os homossexuais. Ele ainda lembrou que na época de Jesus Cristo já existiam homens e mulheres que se interessavam por pessoas do mesmo sexo. No entanto, o líder da Igreja Universal do Reino de Deus ainda enfatizou que apesar de Jesus não ter sido contra aos homossexuais, também não levantou qualquer bandeira gay, como chegou a fazer com outros grupos marginalizados. De acordo com a bíblia, Jesus foi enviado por Deus para libertar o povo de Israel da escravidão. 

O pastor da Universal diz que se pergunta qual seria a opinião de Jesus sobre o assunto e que estimula as pessoas de sua igreja a não serem contrárias aos homossexuais, mas sim ao contrário, tentando assim fazer uma aproximação dos gays com os templos religiosos.

Publicidade

 "Não creio que Jesus fosse fazer algo contra alguém por ser gay, do contrário teria feito em sua época, mas me pergunto o que ele faria agora, caso aparecesse em nossos tempos atuais?", questionou o líder religioso.

Macedo não é o primeiro nome importante a se manifestar a favor dos gays. Há dois anos, em 2013, o Papa Francisco também se mostrou tolerante com os homossexuais, se dizendo ser ninguém para fazer qualquer tipo de julgamento. #Televisão #Religião