A 5ª edição da Marcha das Margaridas reúne em Brasília aproximadamente 35 mil mulheres. Organizada pela Contag (Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura), a Marcha das Margaridas acontece a cada dois anos e reúne mulheres que trabalham no campo de todo o Brasil. Entre elas também estão: universitárias, sindicalistas e grupos feministas.

Conforme noticiou o portal de notícias G1, as participantes que vieram de vários estados do Brasil ficaram alojadas no estádio de futebol Mané Garrincha, de onde partiram por volta das 9h desta quarta-feira (12) rumo ao Congresso Nacional.

A Marcha das Margaridas pede a 'cabeça' de Eduardo Cunha

As participantes da marcha cantavam: "Marcha, mulher, marcha / molha os pés mas não faz a unha / viemos de todo Brasil / pedir a cabeça de Cunha. 

Eduardo Cunha, presidente da Câmara dos Deputados, declarou guerra ao governo federal e vem trabalhando para dificultar a governabilidade do país e fazendo com que a presidente tenha derrotas seguidas na 'Casa'.

Publicidade
Publicidade

A manifestação chegou a Esplanda dos Ministérios e ao Congresso Federal gritando: "Fora Cunha".

Sob as ordens dos organizadores da Marcha das Margaridas, os manifestantes viraram as costas para o Parlamento e gritaram palavras de ordem contra várias medidas, entre elas, pode-se destacar: a regulamentação e ampliação das terceirizações, que foi aprovada pelo congresso há pouco tempo, e a redução da maioridade penal.

As palavras de ordem deixam claro que os manifestantes repudiam as tentativas de promover o #Impeachment da presidente Dilma Roussef. Nas ruas é possível ver várias faixas com os seguintes dizeres: "não a violência doméstica", "não a violência no campo", "não ao racismo" e de "golpe não".

Ainda hoje, uma comissão de participantes da Marcha das Margaridas será recebida por deputados federais e senadores para ouvir as reivindicações dos manisfestantes.

Publicidade

Apoio a Marcha das Margaridas

Ao longo da caminhada, vários grupos de servidores públicos exibiam faixas e cartazes em apoio a Marcha das Margaridas. 

A organização da Marcha das Margaridas contou com o patrocínio de aproximadamente R$ 855 mil de estatais, como: BNDES e Caixa Econômica Federal, o que serviu como um desagravo a favor do governo federal.

Uma das participantes da Marcha salientou que "todos colocam a culpa da #Crise na presidente, mas ninguém fala que quem manda mesmo são os homens do congresso". #Dilma Rousseff